Resumo de Art Nouveau
Humanas > Arquitetura

Art Nouveau


Art Nouveau é o nome Belga e Francês de um movimento de arte em reação às escolas acadêmicas ao fim do século XIX (1894-1914). Era primeiro usado por críticos contemporâneos na Bélgica, e então usado por S Bing para nomear sua loja de arte em Paris, especializada com trabalho contemporâneo dos artistas do Art Nouveau. É agora usado em inglês e francês. Este movimento foi representado na Europa e também nos Estados Unidos.

Na Inglaterra é bem mais presente na produção gráfica (Crane, Beardsley, Macmurdo...) do que no domínio da arquitetura.

Teve freqüentemente vários nomes em cada país, alguns buscaram determinados artistas principais, revista ou firma (por exemplo na França "Style Guimard", na Alemanha " Jugendstil ", e quer dizer literalmente o estilo promovido pela revista de Jugend que foi criada em Munich em 1896. É agora usado em alemão para o traço Art Nouveau. Na Itália,: "Stile Liberty" este nome significa Liberty Ltd style. O "estilo" é nomeado na Itália depois de surgir a famosa companhia inglesa Liberty que era uma das poucas companhias inglesas envolvidas com o Art Nouveau.), alguns outros nomes geralmente se referem à algo novo (" Art Nouveau " na França, Modernismo na Espanha, " Nieuwe Kunst " no Países Baixos e " Sezessionstil ou Secessão Vienense" na Áustria). Em cada país, o " Art Nouveau " teve sua própria identidade e às vezes os artistas da época discordaram de cada um. De fato, além destas " oposições " entre países ou até mesmo os artistas, podemos achar retrospectivamente vários pontos comuns em cada movimento. Quando mencionamos " Art Nouveau ", nos referimos à todos os movimentos vanguardistas durante o período 1894-1914 em relação ao ponto de vista acadêmico e histórico.

Os artistas do Art Nouveau quiseram apagar a distinção entre artes principais e secundárias. Eles apontaram a unificar todas as artes; centrou isto ao redor do homem e a vida dele. Então arquitetura que tem uma influência direta na vida do homem era a arte central na qual toda habilidade é naturalmente integrada. A arquitetura é vista como uma arte total todo detalhe, os objetos de dentro e de fora do edifício são relacionados num todo. Outra arte e desenho principal, não relacionados à edifícios, são os cartazes e a joalheria. Mas a joalheria teve as mulheres como seu centro.

Alguns historiadores de arte gostam de falar sobre um "Estilo Art Nouveau" (como eles falariam sobre estilo gótico, romano, e o estilo barroco). Este estilo decorativo teve sua inspiração na natureza e nas mulheres. Há argumentos para juntar todos estes movimentos nacionais em um único estilo. Mesmo que manifestações diversas possam ter sido observadas em diversos países, cada um dos grupos, cada um dos artistas sentiam a necessidade de formular princípios válidos: de por fim as imitações de estilos do passado; de uma certa predileção pela "linha", inspirada na natureza (as linhas estruturais da natureza); de uso de novos materiais e de técnicas modernas, em oposição ás falsas estruturas ecléticas; por fim à necessidade de ver "a arte" em tudo e "para todos".

Alguns exemplos são os desenhos florais usados em pés de ferro das máquinas de costura, em papéis de parede, em grades de ferro fundido e em ilustrações de livros. As peças artesanais únicas exibem os mesmos padrões. É o período dos vitrais, vasos, luminárias, jóias e móveis excêntricos e requintados.

Os edifícios Art Nouveau possuem linhas curvas, delicadas, irregulares e assimétricas. Mosaicos e mistura de materiais caracterizam muitas das obras arquitetônicas, como as de Antoní Gaudí.

Onde o movimento teve maior força foi na Bélgica, com Victor Horta (1861–1947), com as obras: Hotel Tassel (1892), Hotel Solvay (1895-1900), Maison du Peuple (1896-99); e também com Henry Clemens Van de Velde (1863 – 1957), com as obras: Teatro da Werkbund – Colônia (1914), escola de Artes e Ofícios de Weimar (1914). Na França o Art Nouveau se destacou por Hector Guimard (1867-1942). Na Alemanha por August Endell (1871-1925) e Peter Behrens (1868-1940) . Na Espanha com Antônio Gaudi (1852-1926) com as obras: Casa Batllo, Casa Mila, Parque Güell e a Igreja da Sagrada Familia. Na Inglaterra a arquitetura foi representada pela tradição vernacular inglesa que visava a depuração da linguagem arquitetônica vernacular com o uso de novas técnicas e poéticas e foi representada por Richard Norman Shaw (1831-1912), Philip Webb (1831-11915) e Charles Rennie Mackintosh (1868-1928).

Os historiadores de Artes preferem dizer que os anos finais da Primeira Guerra Mundial, coincidem, de fato, com o fim do Art Nouveau. Este estilo já estava declinando no meio da primeira década do século XX. Exceto na Espanha, onde Gaudi continuou a seu trabalho até sua morte em 1926. Isto ocorreu graças à não participação da Espanha na I Guerra Mundial.

O Art Nouveau no Brasil, conhecido também como estilo floral, está presente em edifícios projetados pelo francês Victor Dubugras (1868-1933?); nas construções do sueco Karl Ekman (1866-1940), como a Vila Penteado, em São Paulo; e nos gradis, portas e móveis produzidos pelo Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo. Um grande exemplo no Rio de Janeiro é o interior da Confeitaria Colombo. Cerâmicas e cartazes do pintor Eliseo Visconti (1866-1944) também têm inspiração art Nouveau .