Resenha do Filme - Prenda-me se for Capaz
Sociais Aplicadas > Comunicação

Resenha do Filme "Prenda-me se for capaz"

Macapá, novembro de 2004


Dedicatória

Dedico este trabalho aos meus filhos, como exemplo da importância dos princípios básicos da educação familiar.

Agradecimentos

Agradeço aos meus familiares pelo apoio e compreensão para que este trabalho fosse concluído.


"A verdade é dura como o diamante e macia como a flor de pessegueiro". Gandhi.


PRODUÇÃO DE RESENHA DO FILME "PRENDA-ME SE FOR CAPAZ", COM BASE NA APOSTILA, COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR.

Resumo: Este trabalho é uma resenha do filme "Prenda-me se for capaz" de Steven Spielberg. Inicialmente o artigo apresenta um resumo da estória do filme, também relaciona trechos do filme ao conteúdo da disciplina "Comportamento do consumidor, ministrado pelo professor, Celso Issao Kato, a resenha encerra com as seguintes considerações finais; que a inteligência usada de forma errada sempre tem limite e a inteligência usada de forma correta além de trazer benéficos próprios contribuirá para a humanidade.

Palavras Chaves: Aparência, pouca atenção na educação do filho, falsário, década de 60, detetives, dólares e legalidade.

O filme é baseado na história real de Frank W. Abagnale Junior, adolescente, filho único, que pertencente a uma típica família americana, constituída de três pessoas; o pai, Sr. Frank Abagnale, interpretado por Christopher Walken, a mãe Sra. Roberta Abagnel, membros do Rotary Clube de sua cidade, possuem uma casa confortável, um carro e o filho Frank estuda em um bom colégio particular.

"Dois ratinhos caíram em um balde de nata; o primeiro rato desistiu logo e se afogou. o segundo rato não parou, se esforçou tanto que acabou transformando a nata em manteiga e conseguiu sair". (Frank W. Abagnale).

Tudo transcorre normalmente até que seu pai perde o emprego e conseqüentemente vai reduzindo o poder aquisitivo da família. Vende a casa, troca o colégio do filho para uma Escola Pública e por fim muda-se para um apartamento modesto. Existem características básicas que influenciam, no comportamento do consumidor que são: culturais, sociais, pessoais e psicológicas.

Certo dia o pai levantou e acordou o filho dizendo que não precisava ir a escola, pois precisaria dele para um serviço. Foram a uma loja e pediu para a vendedora um terno para o filho, pois o mesmo iria a um funeral e que precisava daquele terno naquela hora. Como a vendedora hesitou, mostrou a vendedora um colar dizendo perguntando-lhe se a jóia não tinha caído de seu pescoço.

Pronto, a vendedora mudou completamente sua atitude tendo inclusive emprestado o terno na loja que só vendia. O pai de Frank sempre subestima a inteligência das outras pessoas e principalmente a inteligência feminina.

O terno foi utilizado para que Frank Abagnale Junior servisse de motorista para seu pai afim de leva-lo até um banco, onde tentaria conseguir um empréstimo. Informando ao gerente do banco que era membro do rotary clube e muito papo conseguiu o empréstimo.

Em seguida vende seu carro velho por um preço mais caro do que valia e se apressa para entregar o terno que tomara emprestado.

"...sabe porque os ianques sempre vencem? porque os outros times não conseguem parar de olhar para os seus uniformes de listras". (Frank W. Abagnale).

O filme mostra um pai mais preocupado em ensinar ao filho a importância da aparência na obtenção de resultados favoráveis. A ponto de hipnotizar as outras pessoas, pois acha que todos nos julgam pelas roupas, carros, jóias, lugares que freqüentamos e etc.

"A criança ao crescer em uma sociedade, aprende valores básicos, percepções, desejos e comportamentos da família e de outras instituições. A criança geralmente é exposta aos seguintes valores: realização e sucesso, atividade e envolvimento, eficiência e objetividade, progresso, conforto material, individualismo, liberdade, humanismo, juventude, saúde e beleza física. (Celso Issao Kato).

No primeiro dia de aula, na Escola Pública, a mãe fora leva-lo. Na porta da Escola, em um gesto, rápido Frank Abagnale Junior tira o cigarro de sua boca e diz que a mesma prometera deixar o vicio.

Observando que o colégio era meio bagunçado, Frank Abagnale Junior foi logo se aproveitando do momento que não tinha professor em sala e se fez passar por um, com toda a arrogância e petulância, que nunca demonstrara antes. A direção chamou seus pais para comunicar o ocorrido, mas os pais não deram tanta importância ao fato, e não chamaram a tenção do filho. No filme deu a entender que mãe se mostrava pouca atenção à educação do filho, apesar de o mesmo parecer bem calmo, carinhoso, carismático e muito inocente.

Uma das características importante do comportamento do consumidor é a cultura que é iniciada através da família nos primeiros anos de vida. Uma outra parte é o resultado da interação do individuo com outros membros da sociedade. Uma das principais tarefas dos grupos sociais e o adestramento dos indivíduos. A cultura é dinâmica, estando em permanente processo de ajustamento e adaptação, dependendo basicamente de três processos que são: o acaso, a inversão e a imitação de outras culturas.

Como a mãe de Frank não se acostumara ao novo estilo de vida, estava sempre ausente, sempre que Frank Abagnale Junior chegava em casa não a encontrava e em uma dessas vezes o pai o encontrou no fogão fazendo panquecas, pois era o seu aniversário, então o pai deu-lhe de presente um talão de cheques para gastar no que fosse preciso, e o convidou para jantar fora.

Outro dia quando Frank Abagnale Junior chegou em casa encontrou sua mãe saindo do quarto com o presidente do rotary clube e ela disse que estava mostrando o apartamento, mas Frank continuou calado, a mesma pediu que não contasse ao pai. Ele confirmou que não contaria, logo em seguida a mãe deu-lhe algum dinheiro, para comprar alguma coisa. O filho tira-lhe o cigarro da boca outra vez em um gesto muito rápido.

No filme o pai de Frank era mais presente que a mãe, pois tinham um relacionamento mais de amigos, parecia que a mãe realmente não tinha gostado nada do apartamento pequeno. Aparentemente o amor acabou junto com o dinheiro, como o pai contava que a encontrou em um bar e que teve que disputar com outros boêmios a esposa então nos passa a informação que ela gostava de se divertir, o que não estava acontecendo com a nova situação financeira.

Segundo a Apostila do Comportamento do Consumidor: os fatores sociais interferem na vida do consumidor, antes a família pertencia a uma classe social mais alta agora encontra-se em uma classe mais baixa; todos da família de Frank estavam insatisfeitos com a perda do Status, mas a mãe ficou procurando uma forma de como reconquista-lo novamente e não mediu as conseqüências, ela foi egoísta, mas foi em busca de sua própria felicidade, esquecendo completamente de sua primeira família e constituindo outra.

Um dia Frank Abagnale Junior chegou em casa viu uma cartola e um paletó no sofá, ficou muito chateado e foi logo falando alto, sobre os homens que a mãe trazia para casa, em seguida sai um senhor do quarto de seus pais, falando sobre uma decisão que ele teria que tomar, então era a separação de seus pais, que ele teria que decidir com quem ficar com a mãe ou com o pai. Frank fugiu de casa e nunca mais voltou, fugiu em direção ao terminal rodoviário, comprou uma passagem com o cheque que o pai deu, que não tinham fundos. Começou a tentar usar formas de enganar, para passar os cheques de outros bancos, começando aí sua carreira de falsário.

Conforme a apostila do Comportamento do Consumidor; a partir desse momento os fatores pessoais e psicológicos evidenciaram suas atitudes, nem sempre todas as cognições de um individuo encontram-se em equilíbrio: podendo haver incoerências entre o seu conhecimento, atitudes e comportamento que se chama de desconforto psicológico que é gerado pela incoerência de opiniões, atitudes e comportamentos, a separação de seus pais pode ser considerada uma das forças motriz para todo este comportamento.

Quando viu um piloto com várias aeromoças entrando em um hotel de luxo, vislumbrou a possibilidade de se passar por piloto, e para saber mais sobre a profissão fingia-se passar por estudante e entrevistava um senhor aposentado que já trabalhara na área, fazia perguntas como: quais os aeroportos que a PanAm voava, quanto ganhava um piloto, quem determina para onde voar?, como se consegue um crachá de piloto, se ele poderia tirar uma copia do dele? se poderia tirar uma cópia da licença para voar, depois que obteve as informações mais importantes que precisava, ligou perguntando como conseguira mandar fazer um uniforme de piloto pois o seu foi perdido, assim conseguiu todas informações e mandou confeccionar um, e logo saiu vestido e assim foi notado por todos, e até admirado, por estar vestido daquela forma, daí em diante começou realmente sua vida de aparência e golpes. Como piloto da PanAm, hospedava-se em hotéis de luxo, onde começou a passar os cheques-salário ficando com o troco, pois dava sempre um cheque maior, para receber este troco.

Quando alguém tentava olhar minuciosamente para o cheque, Frank, estava sempre pronto para falar um galanteio, pois procurava sempre a pessoa certa que realmente fosse dar certo, geralmente mulheres. Emitiu vários cheques e começou a voar para vários paises, especializando nos procedimentos de emissão e compensação de cheques. Através de um leilão arrematou uma máquina própria para emissão de cheques o que o tornou auto-suficiente neste tipo de fraude. Vale salientar que a história real ocorreu no início da década de 60.

Escreveu para o pai dizendo que agora ia ser um piloto de verdade e que conheceria vários lugares do mundo e que mandaria passagens para que ele e a mãe viessem ao seu encontro e agora sim iria recuperar tudo que eles perderam.

No filme, as investigações não conseguiam nem chegar perto do falsário. Então, o FBI contratou um dos melhores detetives, Sr. Carl Hanratty interpretado por Tom Hanks, especialista em falsificação de cheques, para pegar Frank.

O diretor do filme enfatiza as brincadeiras bobas entre os detetives.

Na primeira investida do detetive Carl foi logo certeira, mas Frank, com o seu jeito inocente, consegue engana-lo, as cenas parecem caricatas meio pastelão, bem superficiais. Frank faz Carl de bobo e sai da cena levando até as provas do crime que são os cheque e a máquina. Carl é alertado pelo seu chefe para não se humilhar demais.

Este comportamento de Frank da troca de personalidades, de enganar o detetive caracteriza uma brincadeira de pega-pega de esconde-esconde, muito comum na infância e na adolescência, caracterizando seu joguinho de ilusão, que ele mesmo criou em função de todos os problemas; porque não tinha maturidade suficiente para enfrentar seus problemas. Psicologicamente continuava confuso, ou seja tudo menos a separação de seus pais.

Certo dia Frank Abagnale Junior janta com o pai em um restaurante de luxo, onde até os garfos eram resfriados para se comer uma salada fria e neste momento Frank oferece um presente ao pai; um Cadilac de luxo, vermelho, com interior branco e conversível, mas o pai não aceita e diz que a loja fechou, mas tudo vai passar, mas que não dá para ficar com o presente, o que vão achar?. O filho Frank diz ter muito dinheiro, diz para o pai procurar a mãe e os dois se emocionam quando falam na mãe.

No filme o Diretor mostra a importância de uma família para uma criança e que tudo desmorona por não ter pais competentes, o que Frank mais desejava era ver seus pais juntos novamente, apesar de tudo, ainda sonhava com isso. Frank demonstrava (uma fraqueza) emocional ainda não tinha assimilado essa realidade que era a separação de seus pais, sempre achava que se o pai conseguisse de volta toda riqueza material que tinha antes e fosse atrás da mãe ela viria de volta.

O detetive continuava investigando, procurou pelo pai de Frank que continuava o mesmo, mentindo e enganando, investigando sua casa achou um endereço de Frank, mas chegando lá, ele não estava mais, já tinha mudado de profissão. O falsário era rápido demais, ou o detetive, era muito lento. Mas Carl foi investigar a mãe de Frank, lá viu sua foto e realmente teve a confirmação que o rapaz que o enganará na primeira vez era o falsário, e a mãe como sempre querendo pagar com dinheiro pelo que o filho fez, mas essa dívida era impagável, prende-lo agora era uma questão de honra.

Frank tornou-se assistente de procurador e ia se casar com a filha do procurador, no dia de seu noivado o detetive. Carl chega na casa de seu sogro onde está se realizando o noivado, mas Frank consegue fugir mais uma vez, e sempre enganando a todos, principalmente, a noiva de ir ao seu encontro depois de alguns dias para fugirem juntos pois dinheiro não será problema e mostra as duas malas cheias de dólares e foge antes que o detetive o pegue.

O filme mostra que Frank era tão solitário quanto o detetive Carl, e todo natal passa a ligar para ele, pois é a única pessoa que, de uma certa forma, se preocupa com ele.

O detetive consegue descobrir onde Frank está fazendo a impressão dos cheques que agora estão com uma qualidade muito melhor, Carl chega na França, mais precisamente em uma tipografia a qual Frank comprara, consegue fazê-lo se entregar.

Depois de preso, Frank só recebe a visita de Carl. Como estava muito doente consegue leva-lo a um médico. Depois de curado Frank começa a ajuda nas identificações de cheques falsos ainda preso. Carl conseguiu sua liberdade condicional para que ele fosse trabalhar em seu escritório, no FBI, na identificação de falsificações de cheques. Foi um sacrifico para Frank, que ainda deu algumas derrapadas, mas logo se identificou com o serviço passando a desenvolve-lo com grande entusiasmo. Em uma certa hora lá no filme Frank pede para o seu pai pedir para ele parar, mas como o pai também tinha o mesmo problema do filho não conseguiu dizer "pare filho" e quando Frank achou alguém que dissesse isto e o convenceu a parar, então ele se entregou, então faltava alguém para orienta-lo limita-lo ou até mesmo adestra-lo.

Toda a inteligência de Frank, quando foi usada de forma errada teve limites, pois sempre estava preocupado com a policia que podia aparecer a qualquer momento. Quando esta inteligência foi usada de forma correta, em beneficio da sociedade, não teve limites, tendo conseguido desenvolver sistemas de segurança para dificultar as fraudes bancárias.

Talvez o primeiro ponto que há de se entender em relação ao consumidor seja a motivação. Com raras exceções, um ser humano não consumirá nada se não estiver motivado. A motivação envolve atividades as quais nos levam a um determinado objetivo. Podemos nos tornar motivados ou estimulados por meio de necessidades internas ou externas que podem ser de caráter fisiológico ou psicológico. O comportamento motivado tenderá a prosseguir até que nosso objetivo seja alcançado, de forma a reduzir a tensão que estamos sentindo.

Então Frank estava motivado por uma força inconsciente a prosseguir toda a sua trajetória até encontrar alguém que mostrasse o caminho, pois seus pais nunca mostraram. Quanto mais jovem mais suscetível aos impulsos.

Frank Abagnale Junior conseguiu conquistar tudo o queria dentro da legalidade.


BIBLIOGRAFIA

Filme

Título Original: "Catch Me If You Can"

Título em português: "Prenda-me se for capaz"

Roteiristas: Frank Abagnale Jr. E Stan Redding.

Apostila

"Comportamento do Consumidor".

Autor: Celso Issao Kato.

Internet

Michaelis, Moderno Dicionário da Língua Portuguesa.

www.uol.br/bibliot/dicionar/-28k