Regência
Sociais Aplicadas > Pedagogia

REGÊNCIA

Xambioá

2003


INTRODUÇÃO

O estágio é o período de aprendizagem que contem um conjunto de atividades praticas, afim de que o futuro professor possa vivenciar o dia-a-dia de um estabelecimento de ensino. É quando o futuro docente ora vivenciar as teorias absorvidas através da prática.

O estágio tem como objetivo proporcionar ao estagiário um contato com a escola campo e, oferecer subsídio ao acadêmico na sua prática pedagógica.

O estágio deu-se na mesma série do Estágio do I 4º Período, ou seja, na 1ª e 2ª séries de aceleração. Embora os alunos tenham melhorado um pouco, ainda não foi sanada a questão da leitura e da escrita, o que chega a ser a problemática detectada.

Para tentar amenizar essa questão, trabalhou-se com um planejamento direcionado a partir do livro didático adotado pela escola e, como atividades diversificadas sempre levando em conta, o cotidiano do educando, como: Bingo de Interação, música, pesquisa sobre os recurso das ruas que moram, identificação do código de endereçamento postal, reconhecimento de plantas geográficas de cidades, palavras cruzadas, produção e interpretação de texto, boliche para trabalhar sucessor, antecessor, valor relativo, valor absoluto e mais sugestões dos PCNs, revista Nova Escola, apostila EDUCONT e outras leituras complementares, de especialistas em educação como: Paulo Freire, Carlos Rodrigues Brandão, sendo que essas fundamentações teóricas favorecem o alcance dos objetivos pressupostos, ou seja, os alunos assimilaram os conteúdos abordados quase na totalidade.

O presente relatório apresenta a introdução, plano de aula de três dias, análise das atividades desenvolvidas, conclusão, bibliografia e anexos.


1 - PLANO DE AULA

1.1 - IDENTIFICAÇÃO

ESCOLA MUNICIPAL DON CORNÉLIO

PROFESSORA: GUILHERMINA

SÉRIES: 3ª "B"

DURAÇÃO: 03 DIAS

1.2 – ASSUNTO: Brincando de Estudar.

Esta é a síntese deste projeto que incentiva estudar matemática, português, ciências, história, geografia e mais, discutir cidadania, lógica, raciocínio, ética, violência, sexualidade, direitos humanos, etc, de forma alegre, prazerosa e lúdica. Transformar a Escola em "um lugar tão bom e tão agradável .

1.3 – NECESSIDADE:

Com o advento de novas metodologias de ensino, busca-se atender as necessidades da criança de forma prazerosa sem acarretar os seus domínios intelectuais. É muito mais lucrativo para as series do fundamental a forma de como os regentes de sala agem em conformidade com o dia-a-dia da criança, visto que o aluno tem mais capacidade de assimilar os conhecimentos.

1.4 – OBJETIVOS:

  • Aprender técnicas que possibilitem o fluir da escrita com Criatividade, clareza e lógica.
  • Desenvolver a expressão escrita.
  • Aumentar o vocabulário.
  • Desenvolver a oralidade
  • Estimular a integração entre escola e família
  • Descoberta de si mesmo e dos outros;
  • Necessidade grande de contatos afetivos;
  • Explora o mundo dos sentidos;
  • Descoberta das formas concretas e dos seres;
  • Conquista da linguagem;
  • Nomeação de objetos e coisas - atribui vida aos objetos;
  • Começa a formar sua auto-imagem, de acordo com o que o adulto diz que ela é, assimilando, sem questionamento, o que lhe é dito;

1.5 – CONTEÚDOS:

Português: Interpretação do texto O Espelho Mágico

  • Produção de texto
  • Verbo
  • Onde/aonde (ortografia)
  • Pesquisa os sinônimos.

Matemática:

  • Leitura de frações
  • Divisão

Historia/ Geografia:

  • O comercio

Ciências:

  • Saneamento básico e higiene do ambiente em que vive

Ed. Artística:

  • A higiene

1.6 – METODOLOGIA:

  • Comentar com os alunos sobre a importância da música n leitura;
  • Cantar juntamente com os alunos a música majestade o sabiá, em seguida colocar os alunos em circulo e fazer um comentário amplo sobre a musica;
  • Cantar a musica marcando ritmo batendo palmas;
  • Chamar a tenção dos alunos para o significado das palavras: sinfonia de pardais e majestade o sabiá. Procurar o significado no dicionário;
  • Pedir aos alunos que destaquem do texto os verbos em diferentes tempos: presente, passado e futuro;
  • Realização de atividades escrita e oral para perceberem a diferença de onde e aonde;
  • Fazer um passeio por algumas ruas da cidade afim de observarem as necessidades da rua que moram. Ao chegarem fazer um relatório comentando o que observaram inclusive a questão do saneamento básico;
  • Com o uso do mapa do Brasil, propor aos alunos que identifiquem os Estados e suas siglas;
  • Realização de boliche e atividades orais e escritas propondo que os alunos componham e decomponham os numerais e também os seus respectivos valores absoluto e relativo, sucessor e antecessor;
  • Através do jogo a corrida do saber interdisciplinar verificar a aprendizagem dos conteúdos trabalhados.
  • Com uma palestra informal falar para os alunos como deve-se portarem mediante os seus erros e os erros dos colegas.

1.7 – TEMPO: 12 horas (03dias)

1.8 – RECURSOS:

  • Livros didáticos;
  • Quadro giz;
  • Caminhada;
  • Som;
  • Cartolina;
  • Fichas;
  • Boliche (vasilhame de refrigerantes)
  • Bola de meia;
  • Faixa de cartolina;
  • Bingo de interação (papel oficio 2);
  • Mapa;
  • Globo;
  • Planta geográfica da cidade;
  • Jogo: corrida do saber.

1.9 – AVALIAÇÃO:

Através das produções dos educandos considerando-se suas concepções prévias ou seja seu nível de conhecimento, respeitando-se o todo de sua produção individual e em grupos, registro texto "música" os cadernos, trabalhos de pesquisa e também suas habilidades.

1.10 – TAREFA:

realização de passeio afim de conhecer melhor a realidade de algumas ruas da cidade.

1.11 – OBSERVAÇÃO:

1.12 – BIBLIOGRAFIA:


ANÁLISE DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS

Com a utilização de metodologias inovadoras a partir de experiências de sucesso a qual foi buscada em pesquisas sobre o trabalho de educadores ativos e, também sugestões dos PCNs, revista Nova Escola, Pedagogia de Projetos e outros pressupostos teóricos, os quais foram fundamentais para que o estágio de regência apresentasse resultados previstos.

As atividades desenvolvidas em língua portuguesa a partir de procedimentos metodológicos, como produção (e interpretação) de texto após uma passeio por algumas ruas da cidade, afim de observarem o que facilita e o que dificulta as boas condições de vida no seu bairro, ou na sua rua, leitura e interpretação de texto, identificação de verbos nos tempos, presente, pretérito e futuro encontrados no texto, e pesquisa de palavras novas. Em matemática as atividades apresentaram resultados positivos pois, trabalhou-se o lúdico para obter uma melhor compreensão das atividades propostas.

Na disciplina de história observou-se os recursos do município o que resultou uma troca de experiência entre alunos.

Em geografia trabalhou-se através de mapas as siglas dos Estados brasileiros, e a planta baixa de cidades.

Aos conteúdos de ciências abordou-se a questão do saneamento básico da cidade.

Na disciplina de Artes, a musica "majestade o sabiá" foi explorada principalmente o sentimento do personagem na busca de um lugar somente seu. Nessa atividade houve questionamentos do tipo, você tem um lugar todinho seu? Como é esse lugar? Você gosta dele? Percebe-se que esse tipo de atividades apresentam resultados positivos porque o aluno é chamado a participar da aula de forma ativa. Pode-se considerar o que deu certo.

O que chamou a atenção durante o estágio foi a falta consecutiva de alguns alunos, portanto foi a parte negativa do estágio.

Todas as técnicas metodológicas em que se envolve o aluno como sujeito do processo ensino-aprendizagem os resultados são de sucesso.


CONCLUSÃO

As avaliações foram importantes no diagnostico para, apresentarem resultados de aprendizagens, mas também as atividades escritas tiveram relevância, no entanto a potencialidades da turma, foi considerada. A dúvida é quanto ao tempo que o professor disponibiliza, pois a atuação só será preponderante se o professor dispor de tempo, para preparar suas aulas e, com a carga que o docente tem no momento, fica quase impossível. Quando se trabalha com métodos inovadores, os resultados são positivos.

Ser professor é buscar novos horizontes, formar cidadãos e também ensinar e aprender.

Segundo Paulo Freire, educação não é sinônimo de transferência de conhecimentos pela simples razão de que não existe um saber feito e acabado, suscetível de ser captados e compreendido pelo educador e, em seguida, depositado nos educandos.