O que voce quer ser quando crescer.jogador de futebol
Biológicas > Educação Física

O que você quer ser quando crescer!Jogador de Futebol
Faculdade de Americana – FAM
2009

 

 

 

Sumário

1. Introdução
2. Metodologia
3. Futebol e juventude
3.1 Futebol
3.2 Adolescentes
4. O espetáculo midiatizado
5. Jovens no futebol
6. Referência
Anexos

 

1. Introdução

Neste estudo buscamos analisar os fatores que influenciam o sonho de adolescentes e jovens praticantes de escolinhas da cidade de americana.

Nosso interesse pelo tema são percebermos que muitos adolescentes e jovens de escolinhas da cidade de americana sonham em uma ascensão como uma busca de melhora de vida para ele e para sua família. Pois muitos jovens usam o futebol como a única forma de vencerem na vida.

Para desenvolver a pesquisa serão utilizadas diversas bibliografias e sites de revistas cientificas. A coleta de dados e a análise da trajetória de adolescente e jovem para jogarem na Europa consistente em informações decisivas para o sucesso desse trabalho. Com essas coletas será possível identificar, quais são os fatores que influenciam muitos nos jovens e adolescentes a irem jogarem na Europa.

Neste trabalho observamos que permanecia de jovens e adolescentes no futebol Brasileiro, que esta ficando cada vez mais difícil. Por que desde cedo os clube europeus vem investido em jovem de categoria de base do futebol brasileiro. Diferente da realidade dos times e condição financeira de muitos times da Europa, muitos são obrigados a venderem seus atletas mais cedo para o exterior.

Para analisar os motivos que levam muitos jovens e adolescentes que querem se tornar jogadores de futebol, vou propor um questionário para dois times de adolescentes de 15 anos responderem, um time que irá responder o questionário é de faixa um pouco mais elevada, pois seus pais conseguem pagarem para que seus filhos treinem. Outro time que irei fazer um questionário é uma escolinha de bairro de jovens e adolescentes com muita dificuldade, que vê no futebol uma forma esquecer todas as dificuldades que eles encontram fora do campo. Com este questionário eu analisarei quais os motivos de jovens de diferentes faixas salariais quererem jogar na Europa ou (se tornam um jogador profissional)

Na sociedade capitalista contemporânea, o futebol tem se mostrado um fenômeno de grande relevância sociocultural e é, também, amplamente vivenciado pelo brasileiro em seu cotidiano e ressignificado a partir de sua institucionalização e de sua apropriação pelos mais diversos grupos sociais. Seja ditado pela competição racionalizada, seja impregnado pelo

sentimento lúdico seja utilizado pelo Estado ou atuando na coesão social, podemos dizer que o futebol desempenha um papel central na nossa cultura. Portanto, temos certo que a compreensão acerca das redes semânticas que organizam as representações sociais do futebol pode contribuir para um melhor entendimento sobre o papel que essa prática esportiva assume na construção dos estilos de vida e dos imaginários dos atores sociais que o manipulam simbolicamente num determinado contexto de práticas.

E neste primeiro capitulo pude relatar a trajetória do futebol em torno dos jovens e adolescentes que o praticam, a capacidade que o futebol tem de trabalhar vários aspecto que os jovens e adolescentes precisam se desenvolver socialmente. E em seguida a ligação do futebol com o jovens, com isso trás com o jovens o contexto com que ,o futebol muitos das vezes pode ser o salvador de sua vida e de sua famílias como modo de ascensão social,como melhora de vida.

 

2. Metodologia

O estudo se compõe da combinação de pesquisa bibliográfica e de campo. A pesquisa bibliográfica foi realizada utilizando sistema biblioteca FAM, UNICAMP e sites científicos com base nas palavras chave: futebol, jovens, ascensão de jovens e escolinha de futebol.

Neste trabalho pude citar a permanecia de jovens e adolescentes no futebol brasileiro, que esta ficando cada vez mais difícil. Por que desde cedo os clube europeus vem investido em jovens de categoria de base do futebol brasileiro. Diferente da realidade dos times e condição financeira de muitos times da Europa, muito time são obrigado a venderem seus atletas muito cedo para o exterior.

A pesquisa de campo foi realizada para analisar os motivos que levam muitos jovens adolescentes a querer se tornar jogadores de futebol, vou propor um questionário para dois times de adolescentes de 15 anos responderem, um time que irá responder o questionário é de faixa um pouco mais elevada, pois, os pais dos alunos conseguem pagarem para que seus filhos treinem .Outro time que irei fazer um questionário é uma escolinha de bairro de jovens e adolescentes com muita dificuldade na vida, que vê no futebol uma forma esquecer todas as dificuldades que eles encontra fora do campo. Com este questionário eu analisarei quais os motivos de jovens de diferentes faixas salariais quererem jogar na Europa ou se tornam um jogador profissional.E de que forma essas expectativas são influenciadas pela mídia e a concepção de esporte por ela difundida

 

3. Futebol e Juventude

3.1 Futebol

O futebol pode ser o esporte mais popular no mundo e no Brasil a intensidade das comemorações e o entusiasmo que permeia o pais é conhecido internacionalmente. É obvio que o Brasil tornou-se reconhecido mais pela modalidade esportiva praticada em seus campos.

O futebol no Brasil pode ser visto como instrumento de desintegração social e por outro lado de coesão nacional. Assim como a maioria dos esportes possui um credor democrático e uma lógica própria, ou seja, uma linguagem que enfatiza mais a compreensão baseada em méritos e compradriotismo criando assim uma inversão dos valores culturais da vida diária.

As últimas décadas do século XX foi um momento fundamental para que o futebol alcançasse toda essa relevância. A partir das copas do mundo desde 1930 até 2002, mas foram as copas de 1994,1998 e 2002 decisivas para a transformação desse fato social.

Embora tenham existido outros motivos, que ficou no imaginário popular foi essa relação, que é também um exemplo da globalização narcotráfico e futebol caminhando de mãos dadas. Ao mesmo tempo em que a paixão e a emoção do futebol são potencializadas para nós brasileiros, ele constrói um documento que auxilia a nossa memória e reforça um dos ícones da cultura nacional, um dos elementos importantes na construção de nossa identidade.

Podemos dizer que o futebol se apresenta como uma realidade contrastante com a da vida "socioeconômica", sendo, assim, concretamente, uma crítica social à nossa sociedade, também, que o futebol é responsável direto pela formação da nação brasileira. Quando o Brasil é mais Brasil? Na Copa do Mundo, é claro. O embate universal entre nações nos faz mais brasileiros que nunca. Enfeitamos as ruas, usamos o verde-amarelo (que em qualquer outra situação é "brega"), nos emocionamos até o último minuto de cada jogo. Quando as ruas do país estão mais vazias, em sinal claro de desprezo por todas as rotinas? Num jogo da seleção numa Copa do Mundo. Se ganharmos ou perdemos, quem perde não é a Seleção, é o Brasil, somos todos nós. Nesses termos, a derrota no jogo final da Copa de 50, no Maracanã, foi — quem sabe? — o primeiro momento em que o país chorou como brasileiro de forma sincronizada, total e universalmente.

O futebol virou há muito tempo uma paixão nacional, não importando o sexo, e nenhuma faixa etária, pois o futebol gera uma paixão incontestável em seus expectadores sendo um ponto de discussão entre muitos torcedores nos bares, lanchonetes, escolas, familiares entre outros. Essa paixão chega a ser tão grande que muitas vezes é passada de pais para filhos, ou atribuída à cultura nacional em que vivemos, por ser o futebol o esporte mais praticado em nosso pais.

 

3.2 Adolescentes

Segundo Hélio Alcântara (“vou ser jogador de futebol de futebol profissional.") Essa é uma das frases mais ouvidas entre garotos brasileiros na faixa etária compreendida entre os 12 e os 16 anos. O curioso é que o "quero ser" foi substituído pelo "vou ser". O que, à primeira vista, pode parecer uma demonstração de absoluta autoconfiança, provavelmente é a ignorância quase total em relação aos percalços e às enormes dificuldades que essa "vontade" ou decisão representa.

A transformação do esporte mais popular do planeta Terra em "vitrine constante" vem fazendo com que os garotos ou pré-adolescentes "entendam" o futebol como uma atividade naturalmente fácil de ser exercida, e ainda mais fácil de ser alcançada. A internet e a televisão têm grande parcela de responsabilidade nisso. Com o manejo simples do mouse ou do controle remoto, a criança ou o adolescente pode ter a informação que desejar a respeito dos jogadores e dos clubes preferidos. (Estud. av. vol.20 no.57 São Paulo May/Aug. 2006)

A brutal exposição dos jogadores bem-sucedidos na mídia, sempre ligados à fama, à "aquisição" das mulheres mais bonitas e fortunas de dinheiro tem tornado esse sonho infanto-juvenil algo assustadoramente distante da realidade brasileira, mas, paradoxalmente, "parte" dessa mesma realidade. De repente, baseado em alicerce nenhum — a não ser o da idealização de um projeto —, o garoto faz uma projeção desconectada da própria realidade. É como se as crianças-adolescentes entendessem que os jogadores em mídia (Ronaldo, Kaka e Robinho), representassem o verdadeiro cenário do futebol profissional. No áspero cotidiano do jogador profissional, a dor e a pobreza estão associadas quase umbilicalmente à prática desse esporte.

Esses dados não são revelados pela mídia com a mesma freqüência e fervor. O espetáculo futebol tem de ser vendido, e rapidamente. As cifras em torno de contratações e vendas de jogadores pipocam nos jornais, nas revistas e na televisão com tamanha naturalidade que chegamos a pensar: "Meu salário é um acinte!". Basta darmos uma olhada nos valores relacionados ao faturamento de alguns dos jogadores mais famosos do planeta Terra.

“As principais qualidades do futebol é o fato de reter diversos significados.” (Guedes, Revista USP Dossiê Futebol São Paulo EDUNSP, N22, ANO 2006)

O futebol é um belo exemplo de hegemonia cultural. A classe dominante o empurra goela abaixo do proletariado, como uma opção fechada. Isso ocorre com tal esmero de mistificação, que há uma inversão. Ele assume, artificialmente, um valor popular cultural, no entanto apenas um agente populista conservador de despolitização.

Em torno do futebol temos varias considerações a respeito do papel ideológico do futebol no Brasil.

a) O futebol detém um aparelho ideológico do estado. Apresenta uma sociedade capitalista sublimada. O futebol se contextualiza da realidade, mas a reproduz com muitos retoques. É ideologicamente igualitário não permite hierarquia, reprime o conflito de classe pacificamente. Os burgueses e trabalhadores são transformados em torcedores. Os torcedores possuem o objetivo comum de conviver com o universo do futebol.
b) O futebol mistifica a realidade. Reduz a compreensão das condições materiais e sociais existentes. Preenche espaços consideráveis na vida dos brasileiro. Nisso, os meios de comunicação social são fundamentais. Introduzem essa sociedade de gols, vitórias e campeonatos no cotidiano. Ou é feito através de programações inesgotáveis. O noticiário sobre o futebol supera o político e econômico, com isso tentam explicar as exaustivas coberturas futebolista.
c) O futebol legitima o capitalismo. É reacionário. Não questiona as contradições capitalistas. Mantém incólume o “status quo” despolitiza e disponibiliza a organização da classe trabalhadora. Dividi os trabalhadores em torcedores de diversos clubes, o que conduz a uma posição diante da realidade. O futebol produz o real e o produz em outros níveis.

Os salários altíssimos dos jogadores dos grandes times legitimam e avalizam a ascendência social do sistema. Com isso o capitalismo se torna uma ordem natural dentro de uma visão positivista, com isso a realidade passa a ser instável.

O futebol eleito há tempos como “esporte nacional” pela maioria dos brasileiros, tem um papel social muito importante.

“Através de uma partida de futebol quebra-se qualquer tipo de preconceito” (DAOLIO, 1997).

Por sua facilidade de jogar e pela possibilidade de integração entre vários jogadores, foi sendo divulgado por todo mundo e começou a ser praticado profissionalmente. O profissionalismo no futebol foi iniciado somente no ano de 1885 na Inglaterra e no ano seguinte seria criada, naquele país, a International Board, entidade cujo principal objetivo era estabelecer e mudar regras do futebol quando necessária. No ano de 1897, a equipe de futebol inglesa Corinthians fez uma excursão fora da Europa, contribuindo para a difusão deste esporte.

"O futebol é um dos esportes mais populares do mundo e vem sendo praticado em vários países, desde seu surgimento na china por volta de 3.000 anos a.C". (Revista Digital EFDEPORTES, Buenos Aires, ano 8, N. 57, FEV. 2003).

O futebol começou como um mero jogo recreativo e foi se tornando, gradativamente, mais popular no Brasil, porém não havia ainda uma visão profissional do mesmo. Quando os países europeus tornaram-se profissionais, começaram a vir ao Brasil em busca de grandes jogadores para seus times. Em conseqüência a este fato, a Confederação Brasileira de Desporto (CBD) que preferia o amadorismo, teve que dar início ao profissionalismo brasileiro.

 

4. O Espetáculo Midiatizado

A parceria entre o futebol e os meios de comunicação no Brasil é muito antiga. As primeiras notícias foram divulgadas no Jornal do Comércio de São Paulo, na edição de 17 de outubro de 1901, e tinham um caráter bastante elitista, assim como o próprio futebol praticado na época. Eram poucos os que tinham acesso às informações.

O futebol era praticado somente pela elite da sociedade que tinha acesso à prática esportiva nos clubes ou escolas. Embora hoje o futebol seja o esporte mais explorado pela mídia, em 1894, quando foi trazido para o Brasil por Charles Miller, não foi muito valorizado pela imprensa brasileira. Nesse cenário surge outro elemento importante, que desde seu surgimento deixou tentáculos, que são os aspectos mercadológicos, na figura do patrocinador e do marketing esportivo, alterando dessa maneira o comportamento e a cultura da sociedade futebolística.

As relações do futebol com a sociedade passam por transformações importantes promovidas pelos meios de comunicação. O esporte foi assimilado pelas massas, e é apreciado como espetáculo por meio das imagens veiculadas pela televisão, num fenômeno produzido com as mais altas tecnologias, incorporando beleza ao gesto técnico, buscando a imagem mais que espetacular. Tornou-se também um grande negócio, em termos econômicos e ideológicos. Dessa forma, ao estabelecer relações mercadológicas e promover o espetáculos das imagens, ganha características de um show de entretenimento. Os fenômenos midialógicos relacionados com o futebol nos mostram o poder dessa indústria cultural que consegue até mesmo manipular as regras dos jogos, para veicular seus valores, crenças e ideologias, buscando a audiência e os lucros, como elementos de sustentação.

 

5. Jovens no Futebol

No Brasil, grande parte dos jovens que moram na periferia, sonham em ser jogador profissional e crescer socialmente. Afinal no nosso país, as perspectivas de ascensão social são demasiadamente baixas então eles enxergam isso nos gramados do futebol.

Neste sentido, eles (os sonhadores) apesar de sonhar, têm consciência da realidade, portanto, consideram como sorte algum feito em seu processo de profissionalização, e não o vêem como um processo de merecimento, pois, com raríssimas exceções. Vale ressaltar que ninguém se torna um grande jogador por sorte, precisa ter talento e muita persistência, porém se não conseguir uma oportunidade com o chamado padrinho (pessoa bem relacionada no meio do futebol) a sorte pode estar nas chamadas peneiradas, que constituem o famoso e tradicional vestibular do futebol, isto é, nome dado aos testes de seleção feitos por muitos clubes e empresários. Nessas provas, talento é fundamental, mas também é preciso ter sorte, pois em poucos minutos, o aspirante a jogador profissional precisa agradar aos avaliadores, mostrando seu potencial e vontade, ficando, conforme já dito, à mercê dos mesmos, a considerar seus interesses, muitas vezes não relacionados ao processo em q
uestão, sem ter um método ou um critério adotado para analise sem ter um método ou um critério adotado para analise e diagnostico técnico dos jovens. É assim que muitos jovens meninos, candidatos a atletas se sentem quando pensam em se tornar um jogador de futebol profissional.

Nesse sentido, o surgimento de novos talentos no futebol está diretamente relacionado ao período de formação dos jovens atletas, pois os resultados que são esperados deles, quando atingem a categoria profissional, é conseqüência do planejamento executado nas categorias de base. Daí, a importância dos processos de oportunização, detecção, seleção e promoção de talentos.

A maioria dos garotos de origem pobre no Brasil sonha em ser jogador de futebol. Afinal, num país com a oitava pior distribuição de renda do mundo, as chances de ascensão social são pequenas. A exemplo de jogadores como Romário e Ronaldo, que vieram de comunidades pobres e rapidamente ficaram milionários, muitos garotos querem seguir carreira nos gramados.

Segundo o professor do Instituto de Economia da Unicamp, o futebol foi e continua sendo uma das poucas formas de ascensão socialmente no Brasil.

“Nos últimos 20 anos, as possibilidades de mobilidade social diminuíram e a recessão econômica que atingiu o país na década de 80 reduziu as chances de ascensão social”. (Marcelo Weishaupt Proni, ANO 2006).

As próprias famílias incentivam os jovens a seguirem carreira no futebol porque sabem que esta é umas das poucas maneiras de saírem da miséria.

“Se o garoto tem talento, a família deposita nele toda a esperança de mudar sua situação financeira e social”. (Marcelo Weishaupt Proni, ano 2006).

Nesses casos, é muito comum o jovem abandonar a escola para se dedicar exclusivamente ao futebol, com o consentimento da família. O abandono da escola se deve principalmente por dois motivos: primeiro, porque o estudo não é mais visto como uma maneira de quebrar o ciclo da miséria. Hoje, mesmo quem estuda não tem garantia de nada. Os cargos com maiores salários, por exemplo, exigem que o candidato tenha, no mínimo, curso universitário, conhecimento de informática e de idiomas, só os ensinos fundamental e médio não garantem um bom emprego e melhoria de vida. Essa formação exigida pelo mercado necessita de um investimento financeiro alto e essa é uma realidade distante para esses garotos. Assim, ser jogador de futebol acaba sendo uma possibilidade muito atraente.

O segundo aspecto que incentiva o abandono da escola por parte dos candidatos a jogadores profissionais é a alta carga horária de treinamentos exigida pelos clubes. Para se ter idéia um jogador que começa a treinar ainda criança aqui no Brasil tem uma formação profissional de aproximadamente 5 mil horas. Um curso universitário exige uma carga horária de 3,6 mil horas. É mais do que o tempo de uma faculdade, então os poucos que tentam estudar, no máximo freqüentam a escola, mas não são realmente estudantes.

Se todo garoto que abandonasse a escola para seguir carreira no futebol desse certo, pelo menos financeiramente o futuro da família estaria garantido, mas segundo o professor do Departamento de Educação Física da Unesp de Rio Claro, Walter Gama, a realidade não é essa. “Ser selecionado” nas peneiras treinos que os clubes fazem para descobrir novos talentos é difícil, depois conseguir um contrato com algum clube grande é mais difícil ainda, o destaque fica para o fato de os garotos não serem preparados corretamente para a carreira do futebol e muito menos para uma outra carreira. Com o abandono da escola, as possibilidades de serem bem sucedidos em outra carreira são mínimas. Então cada chance que um garoto perde nas peneiras é uma derrota para ele e para a família. É uma carga muito pesada para um adolescente.

Com a expansão de muitas escolinhas de futebol nos grandes e pequenos bairros das cidades, podemos dizer que o futebol alem de ser um dos esporte mais praticado no mundo todo, é um esporte de fácil a sua pratica. Com isso muitos jovens e adolescentes começam a treinar muito cedo em escolinha de futebol de seus bairros. Com um propósito em mente em se tornar jogador de futebol.

Nas escolinhas os jovens começam a ter obrigações a cumprirem como, horário e meta a alcançar. A escolinha não leva em conta a idade dos jovens mas sim o objetivo que eles tem que alcançar. Nas escolinhas muitos jovens são alvo de muitos “olheiros”, que são falsos empresário que aparecem nos campeonatos observa aqueles jogadores que mais habilidosos assediar os jovens com falsas promessas como um excelente contrato em um grande clube, altos salários e uma vida muito melhor.

Mas o que esses jovens não sabem é que alem desses falsos empresários nunca cumprirem o que eles prometem, eles roubam o dinheiro das famílias dos jovens alegando que são para mantê-los nos alojamentos que são tratados como misera em situações desumanas.

Muitas vezes seus pais nem sabem como seus filhos estão sendo tratados e são obrigado a enviar dinheiro para o sustento deles, enquanto eles treinam ate ganharem forma física para irem para um clube grande, com isso vão se passando dias, meses e ate anos, e esses falsos empresários vão enganando muitos jovens para ganharem dinheiro usando o sonho desses jovens.

Nas escolinhas esses jovens usam seus treinadores como forma de inspirarão

um espelho para o seu futuro, o que torna ruim quando esses jovens se espelham em treinadores que são maus exemplos para suas vidas. Porque quando ensinamos futebol, não ensinamos somente como jogar, a técnica, as jogadas, também ensinamos o respeito. A educação com o outro, que não só no futebol podemos passar essa educação, também com o convívio coletivamente com os outros.

 

6. Referência

Fabrício Moreira Filgueira- Aspectos físicos,técnicos e táticos da iniciação ao futebol disponível em http:\\bibliografia\Aspectos físicos, técnicos e táticos da iniciação ao futebol.mht consultado em:02/05/2009

Caue Nunes jovens buscam ascencao nos gramados disponível em http:\\bibliografia\Com Ciência - SBPC-Labjor bhbj.mht consultado em 25/04/2009

Camilo araújo Maximo de Souza -Difícil reconversão :futebol projeto e destino de meninos brasiliero disponivel em Horiz.antropol. vol.14 no.30 PortoAlegre July/Dec. 2008 http:\\bibliografia\Horizontes Antropológicos.mht consultado em: 30/04/2009

Flávia Gouveia- Os números da paixão disponível em F:\bibliografia\Com Ciência - SBPC-Labjords.mht-consultado em 05/05/2009

BORSARI, JOSE ROBERTO. Manual da educação física. Editora pedagógica e universitária ltda. São Paulo, 1974.

CAPINUSSÚ, JOSÉ MAURICIO & REIS, JORGE.Futebol: Técnica,Tática e Administração. Editora Shape.Rio de Janeiro,2005.

FRISSELLI, ARIOBALDO; MANTOVANI, MARCELO .Futebol: Teoria e Prática.Editora Phorte.São Paulo,1999.

GUEDES, S. L. O Brasil no campo de futebol: estudos antroplógicos sobre os significados do futebol brasileiro. Rio de Janeiro: EDUFF, 1998

Hélio Alcântara Estud. av. vol.20 no.57 São Paulo May/Aug. 2006

 

Questionário – Pesquisa: O que você quer ser quando crescer:Jogador de Futebol “ TÍTULO”

NOME: _______________________________(opcional) IDADE:__________________

1. Tempo que pratica futebol na escolinha: _____________________________ anos.

2. Porque você pratica futebol?

Porque gosta( ) Porque todos seus colega praticam( )

Outro motivo? _____________________________________________________________

3. Você sonha em ser jogador de futebol profissional?

Sim ( ) Não ( )

4. Porque?
___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

5. O que levou você a praticar futebol?
___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

6. O que levou você a procurar uma escolinha de futebol?

Por escolha de seus pais ( ) Por conta própria ( )

7. Qual o motivo para escolher essa escolinha?

Próximo da residência ( )
Indicação ( )
Colegas Frequentam ( )
Revelou atletas ( )

8. A sua família motivou você a praticar futebol ou a procurar uma escolinha de futebol?

Sim ( ) Não ( )

9. Você já praticou outras modalidades esportivas? Quais?

.Vôlei( )Basquete( ),Tênis( ) Natação( )Judô( ) Atletismo( ).

10. Porque você escolheu o futebol como esporte a ser praticado?
___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

11. Quanto tempo você utiliza jogando futebol durante uma semana?

( ) 1 hora ( ) 2 horas ( ) 3 horas ( )5 horas ( ) 10 horas ( )20 horas

12. Além da escolinha, você pratica futebol em outro lugar?

13. Você gostaria de ter o futebol como profissão?

Sim ( ) Não ( )

Porque?
___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

14. Você conhece algum atleta que se tornou jogador profissional?

Sim ( ) Não ( )

15. Quem são seus ídolos no futebol? Porque?

 

Modelo do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido

Dados de identificação

Título do Projeto:O que vou quer ser grande crscer:.jogador de futebol ____________________________________ Pesquisador Responsável:D. R. S.

Instituição a que pertence o Pesquisador Responsável:Faculdade de Americana (FAM)

Nome do voluntário: ____________________________________________________________________________

Idade: ____________ anos R.G. ____________________

Responsável legal (quando for o caso): ______________________________________________________________

R.G. Responsável legal: _________________00000________

O Sr. (ª) está sendo convidado(a) á participar do projeto de pesquisa o que vou ser quando crescer .jogador de futebol., de responsabilidade do pesquisador __D. R. S.

Esse projeto tem por objetivo.... busca ideidentificar os fatores que influencia na pratica de jovens praticantes de escolinhas de futebol de americana.

Revisão e pesquisa de campo em que entrevistaremos atletas....

Especificar, a seguir, cada um dos itens abaixo, em forma de texto contínuo, usando linguagem acessível à compreensão dos interessados, independentemente de seu grau de instrução:

Justificativas- Surgiu um interesse em estudar porque muitos adolescentes e jovens de escolinhas da cidade de americana sonham em uma ascensão como uma busca de melhora de vida para ele e para sua família. Pois muitos jovens usam o futebol como a única forma de vencerem na vida.

- objetivos -Neste buscamos analisar os fatores que influencia o sonho de adolescentes e jovens praticantes de escolinhas da cidade de americana.

-descrição detalhada dos métodos (no caso de entrevistas, explicitar se serão obtidas cópias gravadas e/ou imagens) Será aplicado um questionário com perguntas aberta e fechadas para jovens de de 14 e 15 anos .

-desconfortos e riscos associados-Poderá ocorrer que alguns participantes na hora da pesquisa fique com vergonha de se expor seus comentário e resposta sobre o questionário.

-benefícios esperados (para o voluntário ou para a comunidade)-É porque muitos jovens e adolescentes buscam uma ascensão social no futebol.

-explicar como o voluntário deve proceder para sanar eventuais dúvidas acerca dos procedimentos, riscos, benefícios e outros assuntos relacionados com a pesquisa ou com o tratamento individual.Antes que responda cada pergunta o voluntário deverá ouvir o pesquisador,e ainda em caso de duvida o voluntário perguntará para o pesquisador para sanar suas duvida.

-esclarecer que a participação é voluntária e que este consentimento poderá ser retirado a qualquer tempo, sem prejuízos à continuidade do tratamento-Por se tratar de uma pesquisa universitária o participante poderá desistir de participar sem que haja qualquer prejuízo para a pesquisa.

-garantir a confidencialidade das informações geradas e a privacidade do sujeito da pesquisaos -Os dados coletados não terá nenhuma informação pessoal do voluntário para não expor.