Introdução à Contabilidade básica
Humanas > Contabilidade

Conceitos Introdutórios - Contabilidade Básica

Universidade do Norte do Paraná
2008

 

 

 

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO
2 DESENVOLVIMENTO
2.1 TÍTULO NÍVEL 2 – SEÇÃO SECUNDÁRIA
2.1.1 Título Nível 3 – Seção Terciária
2.1.1.1 Título nível 4 – Seção quaternária
2.1.1.1.1 Título nível 5 – Seção quinária
3 EXEMPLOS DE ELEMENTOS DE APOIO AO TEXTO
3.1 EXEMPLO DE GRÁFICO
3.2 EXEMPLO DE FIGURA
3.3 EXEMPLO DE QUADRO
3.4 EXEMPLO DE TABELA
4 CONCLUSÃO
REFERÊNCIAS



1 INTRODUÇÃO

É de grande eficácia a projeção extremamente coerente às necessidades de ser capacitado a esclarecer mediante a contabilidade que estou apto a exercer a função de contabilista neste mercado de trabalho atual originando a cada dia imensas exigências. Tendo por base da contabilidade básica para um inicio de aprendizado eficaz junto a esta entidade. Desde os idos mais remotos da contabilidade, nas sociedades mais primitivas a busca pelo aprendizado.

 

2 DESENVOLVIMENTO

Pelo contabilista de uma empresa onde serão contabilizados todos os fatos que ocorrerem dentro desta empresa.

Podendo-se iniciar pela Escrituração dos livros consistindo e registrar os acontecimentos que provocam modificações utilizando também o livro Diário onde todos os registros são efetuados mediante documentos que comprovem as ocorrências dos fatos tais como: Nota Fiscal, Recibos de Aluguéis, Consumo de Água, Esgoto e Energia Elétrica, Duplicatas etc.

A informação de ordem econômica refere-se às Compras e Vendas, despesas e receitas onde se evidencia os lucros ou os prejuízos apurados nas transações realizadas pela empresa; O de ordem financeira refere-se ao fluxo de Caixa, ou seja, Entrada e Saída de dinheiro.

O fim pelo qual se apresenta tal informação é para o desenvolvimento das entidades conhecidas como: Instituições, lojas, indústrias, comércio, agricultura, pecuárias etc. A natureza do capital com que são constituídas podem ser publicas ou privadas, este recurso é para obter êxodo do beneficio à coletividade da entidade.

Usuários de contabilidade são todas as entidades que registram e controlam movimentação de seus patrimônios incluindo clientes, fornecedores, acionistas, gerentes, administradores, proprietários, banco, governo e outras. Para conhecer as garantias oferecidas pela entidade para cumprir seus compromissos.

Uma entidade sem uma boa contabilidade é como um barco em alto mar sem bússola. Podemos estudar de modo geral que existem esses interesses através de relatórios contábeis e analisam os resultados obtidos que levaram às tomadas de decisões para um futuro de acordo com a realidade relatada pela contabilidade a entidade.

Quem utilizam a contabilidade são as pessoas que se interessa pela situação atual e futura da entidade, evidenciando assim as pessoa físicas ou jurídicas, dessa forma qualquer pessoa que tenha necessidade de manter um bom resultado e ótimo desempenho na entidade.

Técnico em contabilidade é aquele que cursou o segundo grau, o que cursou o terceiro grau o chamado curso opressor de contabilidade o profissional chamado de contador ou bacharel em ciências contábeis.

Tanto o contador quanto o técnico de contabilidade é chamado de contabilistas e ambos podem legalmente ser responsáveis pela contabilidade de uma entidade ou empresa, analistas de balanços, pesquisadores de contábeis etc.

O contador está habilitado a exercer outras atividades não cabíveis ao técnico em contabilidade.

Tais atividades são:

> Auditoria
> Perícia Contábil
> Professor de Contabilidade: este se exige pós-graduação.

A contabilidade é realizada para a entidade, devendo o contador fazer um esforço para não misturar as movimentações da entidade com as dos proprietários. Pessoas físicas e jurídicas não devem ser confundidas. A contabilidade deve preparar uma pasta para arquivar todo o dado se informações contábeis.

Conceito de Patrimônio:

Bens

Direitos

Obrigações

Patrimônio liquida

Os dados coletados pelas contabilidades são apresentados periodicamente aos interessados de maneira resumida e ordenada, formando assim os relatórios contábeis.

O tratamento das demonstrações financeiras varia de acordo com o tipo de constituição da sociedade empresarial. Há dois tipos: Sociedades anônimas (S.A.) e as sociedades limitadas (LTDA.).

A S.A. (ou companhia), que se caracteriza pelo seu capital dividido em partes iguais chamadas ações, os proprietários em grandes números são considerados acionistas.

LTDA. que se caracterizam pelo seu capital dividido em quotas, os proprietários geralmente em pequeno número, são denominados sócios ou quotizas.

A lei das sociedades por ações (S.A.) estabelece que ao fim de cada período de 12 meses, a diretoria da empresa fará elaborar, com base na contabilidade às demonstrações financeiras. O objetivo de uma contabilidade é controlar um Patrimônio através de coleta e armazenamento de informações dos fatos que alteram essa massa chamada patrimônio que pertence a uma pessoa física ou jurídica. O conjunto de riquezas e propriedades de alguém ou de uma empresa. A contabilidade conceitua este relacionamento de elementos patrimoniais na moeda corrente do país, descrevendo todos os bens e dar valor a cada um deles. Os direitos e as obrigações são para definir a composição do patrimônio de uma entidade verificando se há envolvimento com terceiros elementos que podem ser considerada também como riquezas. A partir do momento que nasce um direito automaticamente nasce uma obrigação.

Ao incorporar os direitos no conceito da contabilidade para controlar o patrimônio pela qual foi contratada tem que considerar também a obrigações continuamente para o conhecimento claro do dono daquele patrimônio.

Segundo a contabilidade o patrimônio pode ser definido em um conjunto de bens onde são estabelecidos os direitos e as obrigações da uma entidade por terem desejáveis elementos patrimoniais positivos de caráter restritivo a serem considerados os elementos envolvidos conhecido como negativos.

Com isso deu-se a liberdade para a criação de uma equação de igualdade em que se cria o quarto elemento por diferença que é conhecido como o patrimônio liquida que pode ser conhecido como uma resultante da soma dos direitos e das obrigações que é subtraído pelas obrigações e o que sobra é conhecida como o liquido da entidade, tudo dentro da contabilidade gira em torno de tal equação.

Dentro deste conceito onde se avalia o tamanho da riqueza quando comparadas com entidades diferentes.

Diz-se que o mais rico é aquele que tem o maior patrimônio liquido. Aqui não se considera o potencial futuro de geração de receita o que se está afirmando é uma situação momentânea e estática sem se preocupar com futuro.

É importante salientar que é inquietante englobar elementos de qualidade distintas da própria riqueza da entidade.

Já que o balanço vem da idéia de Ativo compreende os bens e direitos e o Passivo compreende as obrigações e o patrimônio liquida.

As composições básicas que a contabilidade exige do patrimônio liquido é o capital social, lucros ou prejuízos acumulados nas transações da entidade. É uma ótica estritamente financeira fugindo da simples colocação representada dos bens, direitos e obrigações, nesta visão o passivo representa todas as origens de recursos que entram na entidade enquanto o Ativo representa todas as aplicações de recursos dentro da entidade.

Para se conhecer a riqueza líquida da empresa (ou pessoa):

Somam-se os bens e os direitos e, desse total, subtraem-se as obrigações; os resultado é a riqueza líquida, ou seja, a parte que sobra do patrimônio para a pessoa ou empresa. Ela é denominada patrimônio líquido ou situação líquida.

 

3 EXEMPLOS DE ELEMENTOS DE APOIO AO TEXTO

 

3.1 EXEMPLO DE GRÁFICO

Usuário de Contabilidade

 



Gráfico 1 – Faixa Etária
Fonte: José Carlos Marion

É importante observar que, dentre as entidades pesquisadas não se limita a projeção de outras necessidades ao uso da contabilidade.

 

3.2 EXEMPLO DE FIGURA

Segue abaixo um exemplo de apresentação de uma figura.

 



Figura 1 – Hierarquia das Necessidades Humanas
Fonte: José Carlos Marion

Empresa não um corpo isolado e sim uma performance clara de possíveis fluxos internos e externos.

 

3.3 EXEMPLO DE QUADRO

Segue abaixo um exemplo de apresentação de um quadro.

Quadro 1 – Patrimônio Liquido

 

 

 

Fonte: Prof.Dr. José Carlos Marion

 

3.4 EXEMPLO DE TABELA

Segue abaixo um exemplo de uma das exigências do código civil à contabilidade em relação ao patrimônio.

Tabela 1 – Atitudes Perante os Direitos Civis

 



4 CONCLUSÃO

Abrange o estudo do patrimônio de uma entidade e as variações desde o patrimônio, evidenciados no balanço patrimonial, demonstração do resultado do exercício, demonstração de lucros ou prejuízos acumulados e demonstração do fluxo de caixa. A Contabilidade é o instrumento que fornece o máximo de informações úteis para a tomada de decisões dentro e fora da empresa. Ela é muito antiga e sempre existiu para auxiliar as pessoas a tomarem decisões. Com o passar do tempo, o governo começa a utilizar-se dela para arrecadar impostos a torna obrigatória para a maioria das empresas. Para procedimentos igualmente relevantes, levando-se em consideração os critérios de objetividade e subjetividade, sempre deverão ser registrados os que puderem ser comprovados por documentos e critérios objetivos.

 

REFERÊNCIAS

Marion, José Carlos. Contabilidade e o Capitulo 2-Patrimônio. Contabilidade Básica. 6ª Edição. São Paulo: Editora Atlas S.A., 1998.

Ribeiro, Osni Moura. Contabilidade è Fácil. Contabilidade Básica Fácil, 24ª Edição Formulada, São Paulo: Editora Saraiva 2003.

Padoveze, Clóvis Luís. Patrimônio. Manual de Contabilidade Básica: 4ª Edição. São Paulo: Editora Atlas, 2000.