Ethos Mundial - Leonardo Boff
Outras > Outras

ETHOS MUNDIAL


Segundo Boff, há na atualidade três grandes problemas mundiais que necessitam com urgência de uma ética mundial para que o ser humano sobreviva neste planeta, são eles:

A crise social, a crise do sistema de trabalho e a crise ecológica.


Crise Social:

O primeiro grande problema é a crise social mundial onde a pobreza e a miséria são um desafio.

A riqueza gerada pelos avanços tecnológicos vem de forma altamente desiguais, 80% da riqueza mundial está nas mãos de 15% dos mais ricos, formando uma humanidade dividida entre incluídos e excluídos, por um lado aquele que se beneficia de todos esses avanços e o outro que vive sob pressão para manter-se ou viver simplesmente na pobreza e marginalização.

As pessoas vivem para assegurar o seu bem estar material individual em função disso não dá prioridade à solidariedade.


Crise do trabalho:

O segundo grande problema é o regime atual de trabalho, dominado pela automação, provocando Milhões de desempregados no mundo todo gerando um exercito de excluídos.


A terceira crise ecológica:

Escassez de água potável, limitação da energia fóssil, criação de armas com poder de destruição de massa.

A solução para estes problemas consiste em encontrar uma nova base de mudança, ou seja, fazer uma revolução global. Se a humanidade quiser garantir a presença no processo evolucionário.

Para Boff o mundo tem enfrentado muitas crises, mas a mais grave de todas é a da ética onde os valores são defendidos pela acumulação de lucro e disputa de poder.

Precisará criar uma ética que crie condições de futuro e sustentabilidade.

Um pacto ético mundial onde a sensibilidade, a inteligência, a responsabilidade social e ecológica, a solidariedade e compaixão estejam presentes para formar uma nova ética mundial.

Precisamos de um novo rumo, até agora todas as revoluções foram regionais, agora importa ser globalizada, e ver a terra na sua totalidade.

Essa revolução terá como base manter a humanidade unida evitando a bifurcação de iguais e desiguais para assim poder construir uma civilização planetária onde não poderá haver modelos a ser seguido, mas sim inserir a todos e manter diálogos.

Obrigatórios com todas a culturas até chegar a um paradigma holístico.

Aceitar o outro na sua diferença, sem preconceitos, sem julgamentos, este é o alicerce principal

Para uma relação de sobrevivência.

Precisamos resgatar hoje, uma nova ética universal se quisermos preservar a herança que recebemos do Universo e da cultura e garantir o nosso futuro.

Colocamos em risco as bases-fisíco-quimicas, que sustentam a biosfera.

O Ethos capitalista representa a grande ameaça a natureza, às relações amistosas entre os povos nos dias de hoje e o futuro comum da humanidade. O interesse de cada projeto individual ofusca a visão da globalização.

A ética é da prática e não da teoria e para ser plenamente humano precisa incorporar a compaixão.

Os países ricos não têm solidariedade com os paises pobres, em vista disso há necessidade de haver uma revolução ética muito mais que uma revolução política. Despertar um sentimento profundo de solidariedade, criar um ethos que se solidariza com todos os excluídos.

A lei do Universo é a solidariedade e a cooperação de todos com todos, e foi isso que permitiu a nossa permanência até aqui na terra.

Essa visão é fundamental para que se tenha no futuro uma sociedade justa, na qual o principio da solidariedade venha substituir o utilitarismo individual predominante atualmente.

Criar um ethos que se responsabiliza, e a responsabilidade surgem quando nos damos conta das conseqüências dos nossos atos sobre os outros e da natureza. Cumpre a sociedade deixar de competir e se individualizar e passar a ser cooperativa e se perceber co-responsável para a salvação do planeta.

O ethos que ama e cuida é libertador e cria esperanças.

A sociedade contemporânea está marcada pelo consumismo, pelo falso hedonismo, pelo utilitarismo, a humanidade está perdendo a sua dimensão de suas vivencias e convivências.

Para Boff, para se criar um consenso mínimo e eliminar os três problemas globais existem formas de argumentação que oferecem uma base para a ética planetária.

Utilitarismo social - achar uma forma de sociedade que defenda e proteja com toda a força as pessoas e os bens de cada um, não só o bem da sociedade, mas também o bem da terra.

- Ética da ação Comunicativa e da justiça

Lançar regras, normas leis ou diretrizes a serem seguidos por todo grupo social. Criar um valor ético, construir uma sociedade bem ordenada e justa, garantido o equilíbrio entre a natureza e o homem. A competição quando não regularizada através das leis é concentradora e cria tensões sociais como a marginalização e exclusão. Deve, portanto ter a cooperação e criar condições mínimas para os seres humanos possa subsistir e dar sentido à vida.

- Ética fundamentada na Natureza

Compreende uma ética fundamentada no respeito à natureza ao homem e á sua dignidade, ao futuro e a exigência de uma qualidade de vida acessível a todos, com espírito geral de participação. A humanidade só alcançara a sustentabilidade quando entender a terra como um prolongamento do próprio corpo.

- Ética mundial fundamentada nas tradições religiosas

Cada religião possui sua identidade, por isso as religiões não podem ser dogmáticas e fechadas, quando isso ocorre surge o fundamentalismo, doença freqüente das religiões, e conseqüentemente não havendo paz entre as religiões não haverá paz entre os povos. Isto requer uma ética mundial que supere as linhas do conflito entre nações, povos e religiões. Para que haja um consenso mínimo é necessário o dialogo entre todas as religiões para criar a base de uma paz política e econômica.

Só assim poderemos estabelecer ordem no único planeta que temos para morar.

Ética fundamentada no pobre e nos excluídos

Nossa sociedade está estruturada no modo de produção capitalista, que é por essência não cooperativo, não solidário, individualista e competitivo, onde se privilegia o capital sobre o trabalho, privatiza os meios de produção e define de forma desigual o acesso aos bens necessários á vida, primeiro quem detém os meios de produção, depois os demais, são os excluídos, hoje a grande maioria da humanidade.

O tipo de economia vigente se monta sob a troca competitiva. Só mais forte triunfa, o resultado É acumulação de fortunas para alguns e exclusão social para os demais, aumentando a fome crônica, aumento das doenças antes erradicadas, depredação da natureza, violência, guerra, etc..

Não há solidariedade social.

Para uma realidade de uma economia mundializada regida por uma única visão exige-se também uma Ética mundial que acabe com as injustiças sociais, trazer á tona a natureza para encontrar uma saída.

Que é a através da cooperação e não mais da competição. Se não fizermos esta conversão iremos para o pior..

Universalizar uma ética que englobe todos sem distinção, convida a todos a serem aliados dos pobres contra a pobreza e a favor da vida essa a nova ética visaria produzir o suficiente para todos preservando a terra para nós e para as gerações futuras.

Ela hierarquiza prioridades, primeiro salvar a vida dos pobres, depois garantir a sua subsistência, com trabalho, moradia, saúde, educação, segurança, em seguida assegurar a sustentabilidade da terra, a partir disso garantir as condições para realizar os demais direitos humanos.

Ética fundada na dignidade da Terra

Carta da Terra, criada em 1945 , tinha como objetivo servir de base ética e moral , mas não houve consenso entre os paises sobre o seu conteúdo pelos interesses em jogo e o documento não foi escrito. Ela propunha a segurança mundial sustentada por três pólos principais.

Os direitos humanos, a paz eo desenvolvimento socioeconômico. A questão ecológica ainda não era citada.

Somente em 1992 no rio de Janeiro , foi realizada a Conferencia das Nações Unidas sobre o Meio ambiente e desenvolvimento, também chamado Cúpula da Terra.

Em março de 2000,A Unesco ratificou a Carta da Terra.

A carta da Terra diz o que devemos fazer para conservar o planeta e que a melhor medida é a prevenção, então a revolução hoje é conservar é a expressão de uma nova tomada da consciência, uma alerta para entender que o planeta terra é a humanidade.

É um código de ética global por um desenvolvimento sustentável que propõe mudanças em nossas atitudes, valores e estilos de vida a partir dos princípios interdependentes.

I. PRINCÍPIOS GERAIS

  • Respeitar a Terra e a Vida, reconhecendo a interdependência e o valor intrínseco de afirmando respeito à dignidade inerente de toda pessoa e fé no potencial intelectual, ético e espiritual humanidade.
  • Cuidar a comunidade da vida e toda sua diversidade, aceitando que a responsabilidade para com a Terra é compartilhada por todos afirmando que esta responsabilidade comum toma diferente forma para diferentes indivíduos, grupos e nações, dependendo da sua contribuição aos problemas existente e dos recursos que tenha à disposição.
  • Esforçar-se por edificar sociedades livres, juntas, participativas, sustentáveis e pacíficas, afirmando que a liberdade, o conhecimento e o poder coadjuvam responsabilidade e necessidade de auto-restrição moral; reconhecimento que as verdadeiras medidas do progresso são um nível decente de vida para todos e a quantidade das relações entre as pessoas e com a natureza.
  • Garantir a abundância e a beleza da Terra para as gerações atuais e futuras, aceitando o desafio perante cada geração de conservar, melhorar e ampliar sua herança natural, e transmiti-la a salvo às gerações futuras; reconhecimento que os benefícios e responsabilidades sobre o cuidado da Terra devem ser justamente compartilhados entre as atuais e futuras gerações.

II. INTEGRIDADE ECOLÓGICA

  • Proteger e restaurar a integridade dos sistemas ecológicos da Terra, com especial preocupação pela diversidade biológica e pelos processos naturais que sustentam e renovam a vida.  Fazer com que a conservação ecológica seja parte integral de toda planificação e implementação do desenvolvimento.
  • Estabelecer reservas naturais e da biosfera representativas e viáveis, incluindo terras silvestres que sejam suficientes para manter a diversidade biológica da terra e os sistemas que sustentam a vida;
  • Administrar a exação de recursos renováveis com alimentos, água e madeira, de tal forma que não danifique a capacidade de recuperação e produtividade dos sistemas ecológicos ou ameace a vida das espécies individuais;
  • Promover a recuperação de espécies e populares em perigo através da conservação, incluindo a proteção e a restauração de seus habitais; tomar todas as medidas razoáveis para prevenir a introdução de espécies alheias ao ambiente por intermédio humano. 
  • Prevenir o dano ao ambiente, como o melhor método de proteção ecológica e,quando conhecimento for limitado, tomar a senda da prudência.
  • Dar especial atenção, dentro do processo de tomada de decisões, às conseqüências acumulativas, de longo prazo e globais resultantes das ações individuais e locais;
  • Impedir as atividades que ameacem o meio ambiente com danos irreversíveis ou sérios, ainda que a informação científica seja incompleta.
  • Estabelecer normas de proteção ambiental e sistemas de monitorarão que tenham a capacidade de detectar impacto humano significativo no ambiente e fazer obrigatórias às avaliações e os relatórios e impacto ambiental;
  • Exigir que quem contamina seja responsabilizado e arque com os custos totais relativos à reparação dos danos causados;
  • Garantir que as medidas tomadas com o fim de prevenir ou controlar os desastre naturais, infestações doenças sejam dirigidas às causas pertinentes e evitar efeitos nocivos secundários.
  • Fortalecer a obrigação internacional dos Estados de tomar todas as medidas de preocupação razoáveis para prevenir os danos ambientais.
  • Tratar todos os seres vivos com compaixão e protegê-los de crueldade e de destruição desnecessárias.

III. UMA ORDEM ECONÔMICA JUSTA E SUSTENTÁVEL

  • Adotar padrões de consumo, proteção e reprodução que respeitem e proteja as capacidades regenerativas da Terra, os direito humanos e bem-estar comunitário.
  • Eliminar resíduos nocivos e trabalhar para garantir que todos os resíduos possam ser consumidos por sistemas biológicos ou utilizados em longo prazo pelos sistemas industriais e tecnológicos.
  • Atuar com restrições e eficiência ao utilizar energia e outros recursos, e reduzir, reutilizar r reciclar materiais;
  • Depender cada vez mais dos recursos renováveis de energia, tais como o sol, o vento, a biomassa e o hidrogênio;
  • Estabelecer preços de mercado e indicadores econômicos que reflitam a totalidade dos custos ambientais e sociais das atividades humanas, tomando em conta o valor econômico dos serviços proporcionados pelos sistemas ecológicos;
  • Dar poder aos consumidores para que escolham os produtos sustentáveis em vez dos não sustentáveis, por meio da criação de mecanismo como a certificação e a etiqueta;
  • Proporcionar acesso universal ao cuidado da saúde que fomente a saúde reprodutiva e a reprodução responsável;
  • Garantir que as atividades econômicas apóiem e promovam o desenvolvimento humano de forma eqüitativa e sustentável.
  • Promover a distribuição eqüitativa da riqueza;
  • Ajudar a todas as comunidades e nações no desenvolvimento dos recursos intelectuais, financeiros e técnicos para satisfazer suas necessidades básicas, proteger o ambiente e melhor a qualidade de vida.
  • Erradicar a pobreza como um imperativo ético, social, econômico e ecológico.
  • Estabelecer o acesso justo e eqüitativo a terra, aos recursos naturais, à capacitação, ao conhecimento ao crédito, dado poder a toda pessoa a obter um meio de vida viável;
  • Gerar oportunidade de empregos produtivos e significativos;
  • Garantir que todas as pessoas tenham acesso à energia limpa e economicamente viável;
  • Reconhecer ao ignorado, proteger ao vulnerável, servir àqueles que sofre e respeitar seu direito de desenvolver suas capacidades e alcançar suas aspirações;
  • Exonerar as nações em desenvolvimento de dívidas internacionais onerosas que impeçam o progresso para poder satisfazer necessidades humanas básicas por meio do desenvolvimento sustentável.
  • Honrar e defender o direito de toda pessoa, sem discriminação, a uma ambiente que forneça sua dignidade, saúde corporal e bem-estar espiritual.
  • Garantir o direito humano à água potável, ao ar limo, ao solo não contaminado, à segurança alimentar e à salubridade segura em ambientes urbanos, rurais e remotos;
  • Estabelecer a igualdade racial, religiosa, étnica e sócio-econômica;
  • Garantir o direito dos povos indígenas à sua espiritualidade, conhecimento; terras e recursos, assim como às suas práticas tradicionais sustentáveis de alimentação;
  • Instituir o acesso efetivo e eficiente a procedimento administrativos e judiciais.
  • Impulsionar em nível mundial o estudo cooperativo dos sistemas ecológicos, a disseminação e aplicação do conhecimento e o desenvolvimento, adoção e transferência de tecnologia limpas. Apoiar a investigação científica de interesse público;
  • Valorizar o conhecimento tradicional dos povos indígenas e as comunidades locais;
  • Avaliar e regular as tecnologias emergentes, tais como a biotecnologia, com respeito a seus impactos no ambiente, na saúde e na esfera sócio-econômica;
  • Garantir que a exploração e o uso orbital e exterior apóiem à paz e ao desenvolvimento sustentável.

IV. DEMOCRACIA E PAZ

  • Estabelecer o acesso à informação, à participação inclusiva na tomada de decisões e à transparência,credibilidade e responsabilidade no exercício do governo.
  • Garantir o direito de toda pessoa a ser informada sobre os desenvolvimentos ecológico, econômico e social que afetem sua qualidade de vida;
  • Estabelecer e proteger a liberdade de associação e o direito a dissentir em assuntos de política ambiental, econômica e social.
  • Garantir que estejam acessíveis e sejam do domínio público os recursos do conhecimento que sejam vitais para a satisfação das necessidades básicas e o desenvolvimento das pessoas;
  • Fazer efetiva a capacidade das comunidades locais de cuidar dos seus próprios ambientes e designar a responsabilidade para a proteção ambiental nos níveis de governo, que sejam mais efetivos, organizações internacionais e empresas prestem contas ao público sobre as conseqüências de suas atividades.
  • Afirmar e promover a igualdade de gênero como pré-requisito do desenvolvimento sustentável.
  • Oferecer, com base na igualdade de gênero, acesso universal à educação, ao cuidado da saúde e ao emprego, com o fim fr apoiar o desenvolvimento pleno da dignidade e o potencial de cada pessoa;
  • Estabelecer a participação total e eqüitativa das mulheres na vida civil, cultural, econômica, política e social.
  • Fazer do conhecimento, valores e habilidades necessárias para forja comunidades justa e disponível para que sejam parte integral da educação formal e da aprendizagem ao longo da vida para todos.
  • Oferecer à juventude a capacitação e os recursos necessários para a participação de forma efetiva na cidade civil e nos assuntos políticos;
  • Animar a contribuição da imaginação artística e das humanidades, assim como a das ciências, na educação ambiental e desenvolvimento sustentável;
  • Comprometer os meios de comunicação no desafio de educar plenamente o público sobre o desenvolvimento, e aproveitar as oportunidades educativas que oferecem as avançada tecnologias de informação.
  • Criar uma cultura de paz e cooperação.
  • Procurar a sabedoria e a paz interior
  • Praticar a não violência, implementar estratégicas integrais para prevenir conflitos violentos e utilizar a resolução colaborativa de problemas para manejar e resolver conflitos;
  • Ensinar a tolerância e o perdão, promover o diálogo e a colaboração intercultural e inter religiosa;
  • Eliminar as armas de destruição massiva, promover o desarmamento, proteger o ambiente contra os danos severos causados pelas atividades militares, e converter os recursos militares para propósito pacífico;
  • Reconhecer que a paz é a parte integrante criada por relações equilibradas e harmônicas consigo mesmo, com outras pessoas, com outras culturas, com outras vidas, com a Terra e com o grande todo do qual somos parte.

A carta expressa como efeito final , a confiança na capacidade regenerativa da terra. O conjunto das expressões éticas deve salvaguardar o sistema-terra e a biosfera a partir de quem mais sofre e é Excluído. Tudo se resume na busca da paz e nas relações justas consigo mesmo, com outras pessoas, com as diferentes culturas,com a vida e com o grande todo do qual todos fazem parte.

Tudo que queríamos encontramos nesta proposta de Ética Mundial. Se ela for cumprida mudará a forma de pensar do planeta e a paz reinarão na Terra. O homem moderno está à procura disso, atrás desse resgate que foi se perdendo com o tempo, que o homem arcaico sabia e conhecia tão bem.

Para Boff a carta da Terra é o documento que expressa o novo estado de consciência da Humanidade.

Duas fontes da moral orientaram a sociedade as religiões e a razão.

Na raiz de tudo não está a razão (Logos), mas sim o afeto, a paixão (Pathos). Portanto a experiência de base não é o penso logo existo, mas sinto logo existo. Pela paixão captamos o valor das coisas.

Os dois caminhos levam a conduta humana.

Ética do Cuidado

Mas um não vive sem o outro, transformar o pathos num projeto que inclua o logos nascerá o cuidado que é própria da essência do ser humano, seu modo de ser, é através do entrosamento dos dois que se funda uma ética fundamental, capaz de salvaguardar a terra como um sitema vivo e complexo, proteger a vida, garantir os direitos dos seres humanos e de todas as criaturas, a convivência em solidariedade, compreensão , com-paixao e amor.

O futuro do planeta depende do nível de cuidado que a cultura e todas as pessoas tiverem desenvolvido.

Ética da solidariedade

O homem só é feliz dentro da comunidade, a solidariedade está inscrita dentro do código do ser humano. A solidariedade também é política na medida que é assumida conscientemente num projeto político e constituir o eixo das relações sociais.

Ética da responsabilidade

  • Responsabilidade pelo meio ambiente, respeito pela natureza.
  • Responsabilidade pela qualidade de vida de todos os seres do planeta.
  • Responsabilidade generacional, em função das gerações futuras.

Ética do Dialogo

  • Todos devem poder falar e ser escutados, o caminho pela paz passa pelo dialogo.
  • Onde se cria a plataforma para a paz política.

Ética da com-paixâo e da Libertação.

Respeitar as diferenças étnicas, tradições e visões do mundo.

Tudo que vive deve poder existir, desde o mais fraco, desde a menor criatura.

Ética holística

Segundo esta visão, as diferenças revelam a cumplicidade e a riqueza única da humanidade.

Esses imperativos são fundamentais, porém insuficientes. A razão não tem força sozinha para torná-los válido. Mas é no âmbito do pathos (sentimentos) que pode emergir, por meio da Espiritualidade e da Mística.

É na espiritualidade e na mística que o ser humano se sente ligado ao todo, sem elas a ética transforma-se num código frio .

A ética mundial que o ser humano tanto necessita para permanecer sobrevivente neste planeta, se faça valer para manter a humanidade re-unida na mesma casa comum. Quando todo ser humano entender

Que ele é uma totalidade inserida ecologicamente dentro de outra totalidade maior, que é o Universo á nossa volta é que reinará a tão sonhada paz.