Avaliação do Processo de Ensino - Aprendizagem do Educando
Sociais Aplicadas > Pedagogia

AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DO EDUCANDO: Uma perspectiva transformadora na avaliação do aluno

PORTO NACIONAL - 2002

SUMÁRIO - RESUMO...1 INTRODUÇÃO...2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA...2.1 A QUESTÃO DO PROJETO DE PESQUISA...2.2 DEFINIÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA ...3 PESQUISA DE CAMPO...3.1 OBJETIVO DA PESQUISA...3.1.2 Objetivo Geral...3.1.3 Objetivos específicos...3.2 CONTEXTO PEDAGÓGICO...3.2.1 Característica da Escola...3.2.2 Capacidade Total da Escola...3.2.3 Corpo Docente...3.2.4 Formação Gestão Administrativo-Pedagógica...3.2.5 Formação da Equipe Escolar...3.2.6 Projeto Político-Pedagógico...3.3 METODOLOGIA DA PESQUISA...3.3.1 Universo da Pesquisa...3.3.2 Procedimentos e Instrumento de Coleta de Dados... 3.3.3 Tratamento, Analise e Interpretação dos Dados...4 APRESENTAÇÃO E ANALISE DE DADOS...4.1 PESQUISA REALIDADA COM OS ALUNOS...4.1.1 Resultado...4.2 ENTREVISTA REALIZADA COM OS PROFESSORES...4.2.1 Resultado...5 CONSIDERAÇÕES FINAIS...REFERÊNCIAS...7 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR...ANEXOS...I Modelo do questionário da pesquisa de campo realizada com os alunos...II Modelo da entrevista realizado com os com os professores...III Gráfico...IV Projeto de pesquisa


Gostaríamos de registrar nossos

Agradecimentos:

À professora Mariaeunete Guimanhães Tavares , pelo incentivo e a contribuição do tempo e também do seu ambiente de trabalho a fim de que nos possibilitasse o desenvolvimento deste trabalho.

À todos os funcionários da Escola Estadual Marechal Artur da Costa e Silva, pela colaboração e a hospitalidade que eles ofereceram para a realização desta tarefa.

À equipe de professores da disciplina Pesquisa Educacional, por nos apresentar os fundamentos epistemológicos que veio somar e enriquecer mais o nosso desenvolvimento cognitivo.

A todos que fazem parte do Curso Normal Superior modalidade telepresencial, pela possibilidade de oferecer aos futuros alunos professores com uma formação profissional capacitada.

(...)

E, em especial, gostaríamos de agradecer a Deus, pela oportunidade de dar-nos toda a sabedoria que delega a nossas vidas.

Bem poucos dos que saem da escola serão matemáticos, menos ainda serão geômetras. Também haverá os que não usarão nem uma vez, em sua atividade prática, o Teorema de Pitágoras. Sem dúvida, dificilmente haverá um só que não precisará raciocinar, analisar ou demonstrar.

Pogorelov

 

RESUMO

Este relatório de pesquisa vem relatando, basicamente, a avaliação escolar, englobando, as forma de avaliação que são desenvolvida nas escolas de ensino fundamental apoiada nas tendências teóricas.

Avaliação adotada revela uma concepção teórica que determina os procedimentos e instrumentos utilizados, e sobre tudo, com os resultados serão analisados. Revela ainda o que é valorizado o não na formação do sujeito que aprende.

Essas concepções teóricas têm sofrido muita variação, sobre tudo, em nossa historia recente, nos últimos 70 anos a partir da década de 30, de forma que as diversas concepções se misturam na pratica pedagógica e passa a apresentar os conceitos de ensino, aprendizagem, método e avaliação em cada uma das principais corentes teóricas adotadas no decurso da historia da educação no Brasil no que se refere à pedagogia tradicional, à pedagogia escolanovista, à pedagogia tecnicista, e à pedagogia critica..

Na pedagogia tradicional a forma de avaliar o aluno é através da evocação dos conhecimentos memorizados, provas e trabalhos escritos e envolve uma vigilância rigorosa e constante sobre a disciplina do aluno.

Na pedagogia escolanovista avalia-se por meio de reproduções livres, com expressões próprias , relacionamento, reproduções sob diferentes formas e ângulos, explicação pratica, explicações causais.

Na pedagogia tecnista a avaliação destaca e enfatiza o padrão de competência individual do aluno, previamente estabelecida por uma equipe de programadores através dos objetivos operacionais. A avaliação se faz por meio de testes objetivos, coerentemente elaborados e articulados com os objetivos previstos.

E na pedagogia critica a avaliação nesta perspectiva em que a relação é horizontal e todos os participantes são sujeitos e co-responsáveis no processo ensino-aprendizagem é participativa. A responsabilidade em avaliar não esta nas mãos do professor, o de especialista, mas é responsabilidade primeiro de cada individuo, depois do grupo do qual faz parte o professor.

Vem relatando também, o desenvolvimento da pesquisa de campo, mostrando os objetivos da pesquisa, o contexto pedagógico e a metodologia da pesquisa. Expondo ainda, apresentação e analise dos dados para que se possa chegar a uma conclusão lógica como e de que forma a avaliação escolar pode interferir no desenvolvimento cognitivo do educando.


1 INTRODUÇÃO

O século XXI vem exigindo dos profissionais buscar novas configurações, por meio de projetos de pesquisa que fortaleçam o papel social na sua ação de comprometimento com a construção de uma sociedade coerente com os ideais de uma cidadania.

Nesta perspectiva, as aprendizagens significativas são aquelas o individuo efetua efetivamente, levando em conta o seu projeto de atuação. Para isso é necessário que esse profissional seja avaliado.

Sendo assim, este relatório de pesquisa relata, basicamente, a avaliação escolar, englobando, as forma de avaliação que são desenvolvida nas escolas de ensino fundamental apoiada nas tendências teóricas.

Descrever também o desenvolvimento da pesquisa de campo, mostrando os objetivos da pesquisa, o contexto pedagógico e a metodologia da pesquisa. Relata ainda, apresentação e analise dos dados para que se possa chegar a uma conclusão de como a avaliação escolar pode interferir no desenvolvimento cognitivo do educando.

Desse modo, é importante compreender a importância da a avaliação escolar em todo o seu contexto.


2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

2.1 A QUESTÃO DO PROJETO DE PESQUISA EDUCACIONAL

A questão abordada encontrada no do projeto de pesquisa é encontrar um meio mais eqüitativo na avaliação dos estudantes da Escola Estadual Marechal Artur da Costa e Silva, sendo que a avaliação é a maneira mais viável de estimar-se o desenvolvimento cognitivo adquirido pelo educando, pois " avaliação e o processo pelo qual o aluno se determina o grau e a quantidade de resultados alcançados em relação aos objetivos", assim sendo, a avaliação vem mostrando o percentual de aprendizagem cognitiva desenvolvida ao longo da vida escolar do aluno.

2.2 DEFINIÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA

O projeto de pesquisa vem mostrando varias formas de avaliação, caracterizando cada maneira de avaliação de acordo com as teorias pedagógicas.

"As teorias da educação formam um todo organizado, com coerência interna; são lógicas; têm uma razão de ser em função da concepção de educação, do homem e de sociedade que as fundamenta"

À medida que o professor avalia seus alunos ele esta utilizando uma forma de avalia-lo apoiado em uma determinada teoria pedagógica, mesmo que ele não esteja ciente.

"O professor, ao lançar mão de uma determinada técnica para desenvolver o processo de ensino, não esta trazendo para sua sala de aula apenas uma técnica, mas toda uma teoria a que sustenta, vinculada a uma visão de homem e de mundo que responde interesse de classes."33

As principais teorias pedagógicas são: a pedagogia tradicional, a pedagogia escolanovista, pedagogia tecnista e a pedagogia critica.

A modalidade da avaliação adotada na primeira é somativa ou classificatória e da ênfase entra no resultado final, ou seja, o produto que o aprendiz é capaz de demonstrar e fundamenta-se em:

"(...) evocação dos conhecimentos memorizados feitos através de interrogatórios orais, provas e trabalhos escritos, envolve uma vigilância rigorosa e constante sobre a disciplina do aluno."

"O ponto fundamental desse processo será o produto da aprendizagem. A reprodução dos conteúdos feita pelo aluno, de forma automática e sem variações, na maioria das vezes é considerada como um poderoso e suficiente indicador de que houver aprendizagem e de que, portanto, o produto esta assegurado."

Na segunda, teoria pedagógica, a concepção de avaliação, apoiado nos pressupostos da teoria, MIZUKAMI (1986), destaca que avaliar implicará verificar se o aluno já adquiriu noções, realizar operações ect. O rendimento poderá ser avaliado de acordo com a sua aproximação a uma norma qualitativa pretendida. Uma das formas de se verificar é através de reproduções livres, com expressões próprias , relacionamento, reproduções sob diferentes formas e ângulos, explicações praticas, explicações causais ect. O controle do aproveitamento deve ser apoiado em muitos critérios, considerando-se principalmente a assimilação e a aplicação em situações variadas. A modalidade de avaliação adotada é formativa e a preocupação está em controlar o desenvolvimento cognitivo do aluno no processo de aprendizagem. Sendo utilizado também a avaliação somativa, com intuito de verificar o desenvolvimento cognitivo atingindo ao final do processo.

A terceira, a percepção de avaliação apóia-se nos seguintes fundamentos epistemológica:

"em contatar se o aluno aprendeu e atingiu os objetivos propostos quando o programa foi conduzido até o final de forma adequada"

A avaliação assume a função de controle rigoroso de todas as variáveis e instancias do processo.

"Na maioria das vezes, inicia o próprio processo de ensino aprendizagem, uma vez que se preocupa, através de uma pré testagem, conhecer os comportamentos prévios, a parti dos quais serão planejadas e executadas as etapas do processo de ensino aprendizagem" 3

A avaliação é ainda realizada durante o processo, pautada nos objetivos intermediários e ao final do processo pautas nos objetivos finais .

"Nesse caso, a avaliação surge como parte integrante das próprias condições para a ocorrência da aprendizagem, pois os comportamentos dos alunos são modelados à medida que estes tem conhecimento do resultado de seu comportamento."

MARTINS (1989), destaca que se enfatiza o padrão de competência individual do aluno, previamente estabelecida por uma equipe de programadores através dos objetivos operacionais. A avaliação se faz por meio de testes objetivos, coerentemente elaborados e articulados com os objetivos previstos.

Quanto à modalidade de avaliação, nesta concepção são utilizadas as três modalidades: diagnóstica, formativa e somativa. No entanto, cabe esclarecer que, a utilização das diferentes modalidades tem função de classificar o nível de rendimento alcançado pelo aprendiz em cada momento do processo. De forma que, as modalidades diagnostica e formativa assumem os propósitos da modalidade somativa.

E a ultima, a critica, a avaliação é uma perspectiva em que a relação é horizontal e todos os participantes são sujeitos e co-responsáveis no processo ensino-aprendizagem é participativa. A responsabilidade em avaliar não esta nas mãos do professor, o de especialista, mas é responsabilidade primeiro de cada individuo, depois do grupo do qual faz parte o professor.

"A verdadeira avaliação do processo conquiste na auto avaliação e e/ou avaliação mútua e permanente da pratica educativa por professor e alunos. Qualquer processo formal de notas, exames etc, deixa de ter sentido em tal embalagem. No processo de avaliação proposto, tanto os alunos como os professores saberão quais as suas dificuldades, quais seus progressos."

A modalidade de avaliação adotada é diagnóstica, quando busca levantar as representações que os aprendizes possuem pautados em sua experiência vivenciada. No entanto, a ênfase está na modalidade formativa, realizada pelo grupo e sobre tudo pelo próprio aprendiz. A avaliação somativa, por sua vez, pode ser utilizada desde que, seja instrumento de autoconhecimento para o aprendiz.

E em seguida o projeto vem com a implicação com a concepção de avaliação defini-se a partir da concepção de ensino aprendizagem, da função da avaliação no processo educativo e das orientações didáticas postas em prática. Embora avaliação, na perspectiva ainda apontada, aconteça sistematicamente durante as atividades de ensino e aprendizagem, é preciso que a perspectiva de cada momento da avaliação seja definida claramente, para que se possa alcançar o máximo de objetividade possível.

Para obter informações em relação aos processos de aprendizagem, é necessário considerar a importância de uma diversidade de instrumentos e situações,. Para possibilitar, por um lado, avaliar as diferentes capacidades e conteúdos curriculares em jogos e, por outro, contrastar os dados obtidos e observar a transferência das aprendizagens em contextos diferentes.

É fundamental a utilização de diferentes códigos como verbal, o oral, o escrito, gráfico, o numérico, o pictórico, de forma a se considerar as diferentes aptidões dos alunos. Por exemplo, muitas vezes o aluno não domina a escrita suficientemente para expor um raciocínio mais complexo sobre como compreende um fato histórico, mas pode faze-lo perfeitamente bem em uma situação de intercâmbio oral, como em diálogos, entrevistas ou debates. Considerando essas preocupações, o professor pode realizar a avaliação por meio de:

  • observação sistemática: acompanhamento do processo de aprendizagem dos alunos, utilizando alguns instrumentos, como registro em tabelas, listas de controle, diário de classe e outros;
  • análise das produções dos alunos: considerar a variedade de produções realizadas pelos alunos, para que se possa ter um quadro real das aprendizagens conquistadas. Por exemplo:se a avaliação se dá sobre a competência dos alunos na produção de textos, deve-se concederá a totalidade dessa produção, que envolve desde os primeiros registros escritos, no caderno de lição, ate os registro das atividades de outras áreas e das atividades realizadas especificamente para esse aprendizado, alem do texto produzido pelo aluno para os fins especifico desta avaliação;
  • atividades específicas para a avaliação: nestas, os alunos devem ter objetividade ao expor sobre um tema, ao responder um questionário. Para isso é importante, em primeiro lugar, garantir que sejam semelhantes às situações de aprendizagem comumente estruturadas em sala de aula, isto é, que não se diferenciem, em sua estrutura, das atividades que já foram realizadas; em segundo lugar, deixar claro para os alunos o que se pretende avaliar, pois, inevitavelmente, os alunos estarão mais atentos a esses aspectos.

Quanto mais os alunos tenham clareza dos conteúdos e do grau de expectativa da aprendizagem que se espera, mais terão condições de desenvolver, com a ajuda do professor, estratégias pessoais e recursos para vencer dificuldades.

A avaliação, apesar de ser responsabilidade do professor, não deve ser considerada função exclusiva dele. Delega-la aos alunos, em determinados momentos, é uma condição didática necessária para que construam instrumentos de auto-regulação para as diferentes aprendizagens. A auto-avaliação é uma situação de aprendizagem em que o aluno desenvolve estratégias de análise e interpretação de suas produções e dos diferentes procedimentos para se avaliar. Além de esse aprendizado ser, em si, importante, porque é central para a construção da autonomia dos alunos, cumpre o papel de contribuir com a objetividade desejada na avaliação, uma vez que esta só poderá ser construída com a coordenação dos diferentes pontos de vista tanto do aluno quanto do professor.


3 PESQUISA DE CAMPO

3.1 OBJETIVO DA PESQUISA

3.1.2 Objetivo Geral

Verificar o método de avaliação escolar do processo de ensino-aprendizagem da Escola Estadual Marechal Artur da Costa e Silva se é forma mais justa de avaliar o educando para enfrenta o mercado de trabalho e torna-lo parte da consciência de desenvolver o papel da cidadania, interpretando o seu teor e buscando novas metodologias de avaliação escolar

3.1.3 Objetivos específicos

  • Verifica o método de avaliação aplicada por professores nas escolas do ensino fundamental.
  • Confirmar a qualidade no processo pedagógica conforme é exigido pela Lei de Diretrizes de Base (LDB) Nº 9394/96.
  • Identificar pontos positivos e negativos que tem interferido no desenvolvimento do educando.
  • Busca uma metodologia adequada ao processo avaliativo, de forma que venha torna o sistema de avaliação mais justo e beneficiar o sistema educacional

3.2 CONTEXTO PEDAGÓGICO

A escola no seu contexto geral desenvolve o seu trabalho pedagógico de forma contextualizada e atualizada, através de projetos e programas.

Os projetos são realizados de forma interdisciplinar envolvendo todo o corpo docente e discente em torno de um tema escolhido.

Os projetos que a escola desenvolve no ano de 2002 são:

  • Olimpíadas Musculares: olimpíada realizada entre os estudantes da escola
  • Mostre sua Cultural: apresentação artística feita pelos estudantes e comunidade
  • Gincana Folclórica: em comemoração do dias dos estudantes, dos pais e do folclore;
  • Brincando Também Aprende: realizada na semana da criança;
  • Nossas Histórias: confecção de livros através de coletânea de texto produzido pelos estudantes;
  • Educar para Preservar: preservação da escola e educação ambiental e outros;
  • Amigo da Escola: participação do trabalho voluntário da comunidade
  • Programa de Gerencionamento da gestão escolar-GESTAR: programa do governo federal desenvolvido com objetivo de: avaliação diagnostica dos alunos, capacitação dos professores e reforço escolar.

3.2.1 Característica da Escola

A escola caracteriza pela união, competência, e criatividade da equipe.

3.2.2 Capacidade Total da Escola

A escola tem capacidade total de 945 estudantes e, atualmente, atende 580 estudantes.

3.2.3 Corpo Docente

A escola conta com um corpo docente de 18 Professores, sendo 6 pós-graduados, 5 graduados, 5 cursando graduação e 2 normalista.

3.2.4 Formação Gestão Administrativo-Pedagógica

A gestão da escola é feita de maneira democrática e descentralizada, tendo como base e o diálogo trabalho de equipe. Todas atividades realizadas são aprovadas pela maioria.

3.2.5 Formação da Equipe Escolar

A equipe escolar é formada por:

  • 1 diretora;
  • 1 secretaria geral;
  • 3 coordenadores pedagógicos
  • 1 coordenado de apoio
  • 1 coordenado de apoio financeiro
  • 2 auxiliares de biblioteca
  • 3 auxiliares administrativos
  • 9 auxiliares de serviços gerais

3.2.6 Projeto Político-Pedagógico

Sobre o projeto político-pedagógico tem como objetivo educar para mudar. É elaborado de forma participativa envolvendo a equipe escolar.


3.3 METODOLOGIA DA PESQUISA

3.3.1 Universo da Pesquisa

A pesquisa foi voltada para verifica a maneira de avaliação no processo de ensino-aprendizagem na Escola Estadual Marechal Artur da Costa e Silva, localizada na avenida: São Paulo Nº 2559, no setor Jardim Querido, na cidade: Porto Nacional no estado do Tocantins, no qual foram feitas as coletas de dados com os professores, e alunos da 3ª serie e 4ª serie do ensino fundamental.

3.3.2 Procedimentos e Instrumento de Coleta de Dados

Na elaboração do projeto de pesquisa fizeram-se algumas coletas de dados, que utilizaram os seguintes procedimentos de coleta de dados:analise documental, entrevista e observação.

Primeiramente, realizou-se a coleta de dados através das entrevistas feitas com os professores das series iniciais do ensino fundamental.

Logo em seguida, utilizou-se a analise documental para colher dados por meio da pesquisa realizada com os alunos da Escola Estadual Marechal Artur da Costa e Silva referente à avaliação escolar.

E finalizando, aproveitou-se a observação das aulas da 3ª serie e 4ª serie do ensino fundamental como procedimento de coletas de dados.

3.3.3 Tratamento, Analise e Interpretação dos Dados

O tratamento, analise e interpretação dos dados foi verificar se o professor está sendo coerente com a prática pedagógica dentro dos Parâmetros Curriculares Nacional (PCN).

E também verifica o grau de instrução, a metodologia de avaliação e o tempo de serviço que os professores atuam em sala de aula, em relação aos alunos, consideramos a idade deles e a serie que cursavam.


4 APRESENTAÇÃO E ANALISE DE DADOS

4.1 PESQUISA REALIDADA COM OS ALUNOS

Realizou-se a pesquisa com 26 alunos, da 4ª e 3ª series, da Escola Marechal Artur da Costa e Silva na cidade de Porto Nacional estado do Tocantins, no total de 52 alunos da 4ª e 3ª series do ensino fundamental, sendo uma amostra de .

População

Amostra

Porcentagem

52 alunos

26 alunos

50%

4.1.1 Resultado

Analisando os dados obteve-se os seguinte resultado:

  • 88,46 % gostam de ser avaliados.
  • 11,54 % não gostam de ser avaliados.
  • 84,61 % concordam com sistema de avaliação dos seus professores.
  • 15,39. % não concordam com sistema de avaliação dos seus professores.
  • 88,46 % gostam de ser avaliado através de provas.
  • 11,54 % gostam de ser avaliado através de provas.
  • 73,07% gostam de ser avaliado em atividades em grupos.
  • 26,93 % não gostam de ser avaliado em atividades em grupos.
  • 92,30 % concordam em ser avaliado através do seu comportamento, da sua pontualidade e participação em sala de aula.
  • 7,70 % não concordam em ser avaliado através do seu comportamento, da sua pontualidade e participação em sala de aula.
  • 84,61 % concordam com a maneira que é avaliado para poder passar de ano?
  • 11,54 % não concordam com a maneira que é avaliado para poder passar de ano.

4.2 ENTREVISTA REALIZADA COM OS PROFESSORES

Fez-se a entrevista com 3 os professores, da Escola Marechal Artur da Costa e Silva na cidade de Porto Nacional no estado do Tocantins, no total de 18 professores series inicial do ensino fundamental, sendo uma amostra de

População

Amostra

Porcentagem

18 professores

3 professores

16 %

4.2.1 Resultado

Analisando os dados comparando com a observação das aulas obteve-se os seguinte resultado:

  • 33,33 % dos professores utilizam o método tradicional de avaliação;
  • 66,66 % utilizam método apoiado nas teorias pedagógicas escolanovista, ou tecnista ou critica;
  • 99 % têm alguma dificuldade de relacionamento com algum aluno;
  • 66,66 % utilizam jogos como um dos critérios de avaliação.
  • 33,33 % utilizam outros critérios de avaliação
  • 99 % valorizam mais a escrita para avaliar seus alunos
  • 99 % sentem autonomia em avaliar seus alunos
  • 99 % lecionam há mais de 10 anos.

 

5 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Percebemos que a avaliação escolar pode-se interferir na formação profissional do educando e que é necessário busca soluções para que possa avaliar o aluno de forma justa sem reprimi-lo e para não prejudica-lo futuramente.

Constatamos ainda, que existe escola em que os professores utilizam vários métodos diferentes para avaliação de seus alunos, apoiando nas teorias pedagógicas, sendo ainda, cerca de 33,33 % avaliam seus alunos de forma tradicional e que 66,66% avaliam, através da pedagogia escolanovista ,ou da pedagogia tecnista, ou da pedagogia critica ou conforme os Parâmetros Curriculares Nacional (PCN).

Notamos também que escola apresenta excelentes projetos político- pedagógico, corpo docente, formação de uma equipe capacitada, apesar de não, ter nenhuma novidade sobre a forma de avaliação escolar.

Portanto, devemos procurar métodos de avaliação a fim de que os alunos não citam reprimidos e que não possamos desperdiçar excelentes profissionais, porque o professor levou em consideração as aptidões do seu aluno.


6 REFERÊNCIAS

MARTIN, P.L.O. (1989) Didática teoria\Didática pratica: alem do confronto. São Paulo: Loyola.

MIZUKAMI, M. das G. N. (1996) Ensino: a abordagem do processo. São Paulo: EPU

BRASIL, Secretaria da Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais. Vol 1. Brasília: MEC/SEF.

BRASIL, Ministério da Educação e Cultura. Lei de Diretrizes de Bases Nº 9394/96.


7 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

DEPRESIBITERIS, L. (1989) O desafio da avaliação da aprendizagem. São Paulo: EPU.

DEMO, P. (1991) Avaliação qualitativa. São Paulo: Cortes

LIMA, A. O. (1994) Avaliação escolar julgamento ou construção? Rio de Janeiro: Vozes.

APOSTILA CURSO NORMAL SUPERIOR EDUCON/UNITINS. Pesquisa educacional 1 ed. 2ª período, página 14 e 29, Educont/Unitins 2002

 

ANEXOS

I Modelo do questionário da pesquisa de campo realizada com os alunos

PERGUNTAS

SIM NÃO
Você gosta de ser avaliado?

 

 

Você concorda com sistema de avaliação do seu professor?

 

 

Você gosta de ser avaliado através de provas?

 

 

Você gosta de ser avaliado em atividades em grupos?

 

 

Você concorda em ser avaliado através do seu comportamento, da sua pontualidade e participação em sala de aula?

 

 

Você concorda com a maneira que é avalidao para poder passar de ano?

 

 


II Modelo da entrevista realizado com os com os professores

PREGUNTAS

Há quanto tempo você leciona?
Qual o seu grau de instrução?
Quais são os critérios que você utiliza na avaliação dos seus alunos?
Qual desses critérios você valoriza mais?
Qual é o método que você usa para avaliar seus alunos?
Você encontra dificuldades de relacionamento com deus alunos?
Qual é a maneira que você para tentar amenizar essas dificuldades?
Qual é o percentual de alunos que você tem dificuldade de relacionamento?
Você sente-se com plena autonomia em avaliar seus alunos?